“É uma experiência de perda”, diz psicóloga; saiba como ter atendimento de psicanálise gratuitamente

Segundo a psicóloga Daniela Prieto, psicanalista, o confinamento e até o risco de contaminação podem ser experiências devastadoras

Diante da pandemia do coronavírus, a condição emocional das pessoas pode ser afetada. Assim, para monitorar e acompanhar populações potencialmente de risco para o COVID-19, bem como para outras comorbidades em termos de saúde mental, como depressão e outros transtornos, projetos buscam amparar ao menos o lado emocional da comunidade  durante esse período. A Sociedade de Psicanálise de Brasília (SPBsb), por exemplo, oferece atendimento virtual gratuito durante o período da pandemia. O projeto se destina àqueles que se percebem vivenciando este período de confinamento com angústias, ansiedade e sofrimento. Segundo a psicóloga Daniela Prieto, psicanalista da entidade, o confinamento e até o risco de contaminação podem ser experiências devastadoras.

“É uma experiência de perda, no ponto de vista da rotina que a pessoa já possuía e das pessoas com quem ela convivia. Além de toda essa vivência do medo da contaminação e o medo da morte”, afirma  O projeto conta com ao menos 20 profissionais autorizados a receber as demandas. Para ter acesso aos serviços, interessados devem acessar o site da sociedade e entrar em contato por e-mail ou por whatsapp com um dos profissionais listados na página.

O atendimento regular em psicanálise dura em média 45 a 50 minutos, podendo ser  tanto por vídeo chamada quanto por telefone, vai da preferência de cada um.  Clique aqui para acessar o site da entidade A profissional explica que a psicanálise tem um objetivo para além da melhoria de sintomas de sofrimento que possam estar presentes. O objetivo da prática é de transformação da personalidade e não apenas da melhoria sintomática, como na terapia. 

 

Vulneráveis

O Sesc DF, em conjunto com a Universidade de Brasília, também oferece atendimento voluntariado on-line. Segundo Renata Arouca, psicóloga clínica do Sesc, a iniciativa é voltada para os mais vulneráveis.

“Os idosos, que pela faixa etária, têm se constituído como uma população de vulnerabilidade social e de saúde. Os profissionais de saúde (também são público-alvo) pelas condições de trabalho e exigências de preparo emocional na atuação da linha de frente do atendimento”.

A psicóloga Renata  Arouca alerta que devido à pandemia, há um aumento dos índices de irritabilidade, depressão, angústia e violência doméstica que podem ser agravados diante de ameaça da vida, do adoecimento e das incertezas econômicas e sociais do país nesse novo quadro. Esta ação social visa a democratização e o alcance das ações de saúde a todos,  e tudo começou com apenas 2 profissionais. Hoje a rede já conta com 34 profissionais, dentre eles há psicólogos, enfermeiros, médicos, professores de Yoga e assistentes sociais. 

O projeto é voltado para grupos virtuais de até 15 pessoas, sem limites de idade. Os interessados pelo serviço online devem enviar um e-mail para [email protected], informando o nome completo e horário preferencial de atendimento. Assim os grupos serão criados para bate-papo de uma hora por meio de vídeo chamada. O atendimento regular em psicanálise dura em média 45 a 50 minutos. A estrutura pode ser tanto por vídeo chamada quanto por telefone, vai da preferência de cada um.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

três + 11 =

Send this to a friend