Siga o Jornal de Brasília

Política e Brasil

Queiroga afirma que vacinação contra covid-19 será anual: “Certeza absoluta”

Redação BDF

Publicado

em

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, declarou nesta segunda-feira (12) que a vacinação contra a covid-19 será anual. isto é, os cidadãos brasileiros terão de tomar vacina para prevenção da doença todos os anos.

“Nós temos certeza absoluta que vamos ter campanha de vacinação contra a covid todos os anos”, disse Queiroga, ao ser perguntado se a vacinação anual já é uma certeza do Ministério.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O ministro também falou sobre o cronograma de entrega de vacinas contra a covid-19. Queiroga sinalizou que, para ter números exatos de quantas doses serão distribuídas em abril e maio, por exemplo, é preciso esperar diagnósticos dos institutos Butantan e Fiocruz.

Queiroga disse também que o Ministério tem tentado comprar mais insumos farmacêuticos ativos (IFAs) e até mesmo vacinas prontas, mas evitou dar detalhes sobre as negociações. “Não quero me ater a detalhes porque são negociações internacionais, sensíveis, que nós não podemos estar antecipando sob pena de perder oportunidade de negócio.”

Leia também:  CPI da Covid não vai chamar Pazuello de general

As declarações foram dadas durante o lançamento da campanha da imunização contra a gripe. Antes de falar sobre a covid-19, Queiroga ressaltou a importância da vacinação para combater a influenza. “Apesar de não ter o mesmo impacto sobre a saúde, a gripe pode levar subgrupos específicos a síndromes respiratórias agudas graves, e esses indivíduos também pressionam nosso sistema de saúde que já está pressionado em face da covid”, disse o ministro.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Sobre a vacinação contra a gripe

O Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais de saúde começam nesta segunda-feira (12) a campanha de vacinação contra a gripe. Além de evitar complicações decorrentes da gripe causada pelo vírus, a vacinação ganha uma outra importância no momento.

Os grupos prioritários são:

  • – Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;
  • – Gestantes;
  • – Puérperas;
  • – Povos indígenas;
  • – Trabalhadores de saúde;
  • – Pessoas com 60 anos ou mais;
  • – Professores;
  • – Portadores de doenças crônicas não transmissíveis;
  • – Pessoas com deficiência permanente;
  • – Forças de segurança, de salvamento e armadas;
  • – Caminhoneiros;
  • – Trabalhadores do transporte coletivo de passageiros;
  • – Funcionários trabalhando em prisões e unidades de internação;
  • – Adolescentes cumprindo medidas socioeducativas em unidades de internação;
  • – População privada de liberdade.
Leia também:  Bolsonaro diz que cortou dinheiro do MST: “Propriedade privada é sagrada”

O Ministério da Saúde não recomenda que seja feita a aplicação das vacinas contra a covid-19 e contra a influenza conjuntamente. A pasta recomenda que as pessoas que estiverem nos grupos prioritários procurem se vacinar antes contra a covid-19. Especialistas recomendam pelo menos uma diferença de 14 dias entre uma e outra.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Continue lendo
Publicidade