Presidente do partido de Witzel é preso

Pastor Everaldo é alvo de operação que investiga irregularidades na Saúde do Rio. Witzel foi afastado do cargo

A operação Placebo, da Polícia Federal, movimentou peças do PSC na manhã desta terça-feira (28). Além do afastamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, a ação terminou na prisão do presidente do partido, Pastor Everaldo.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) expediu os mandados de prisão. Além do Pastor Everaldo, o ex-secretario de Desenvolvimento Econômico do Rio, Lucas Tristão, também foi preso. Ainda há mais quatro alvos — são seis ao todo. Veja a lista:

  • Pastor Everaldo, presidente do PSC;
  • Lucas Tristão, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico;
  • Gothardo Lopes Netto, médico e ex-prefeito de Volta Redonda-RJ;
  • Mário Peixoto, empresário;
  • Alessandro Duarte, empresário;
  • Cassiano Luz, empresário.

Os três últimos da lista estão presos desde maio por irregularidades com o antigo governo, de Sérgio Cabral.

A operação Placebo investiga irregularidades na saúde do Rio. A delação premiada do ex-secretário de Saúde Edmar Santos deixou claras as irregularidades para as investigações.

Defesa

A defesa de Witzel disse receber com “grande surpresa” a decisão de afastamento. “A defesa do governador Wilson Witzel recebe com grande surpresa a decisão, tomada de forma monocrática e com tamanha gravidade. Os advogados aguardam o acesso ao conteúdo da decisão para tomar as medidas cabíveis”, afirma em nota.

Send this to a friend