Média móvel de mortes por covid-19 no Brasil apresenta queda

Na sexta (14), eram 981 óbitos. No sábado (15), foram registrados 965, na média. Total de mortes no Brasil é de 107.297 e o de contaminações, 3 317.832

A média móvel de mortes em decorrência do novo coronavírus nos últimos sete dias caiu a 965 neste sábado, 15, aponta levantamento feito pelo consórcio de imprensa entre o jornal O Estado de S. Paulo, G1O GloboExtraFolha de S.Paulo UOL . Na sexta, 14, por essa métrica, eram 981 óbitos.

O consórcio apurou, junto às secretarias estaduais, que, desde a sexta, às 20 horas, 726 mortes por covid-19 foram registradas e 38.937 casos foram notificados.

O total de óbitos no Brasil é de 107.297 e o de contaminações, 3 317.832.

Desde o final de maio, a média móvel de sete dias se aproximou de mil mortes a cada 24 horas. Desde então, ou seja, há doze semanas, os números têm se mantidos próximos a esse nível.

São Paulo

O Estado de São Paulo registrou 11.408 casos e 167 óbitos pela doença nas últimas 24 horas. No total, São Paulo tem 697.530 casos confirmados e 26.780 mortes.

Há pelo menos uma pessoa infectada pelo novo coronavírus em 643 dos 645 municípios do Estado, sendo que 503 cidades registram um ou mais óbitos.

Ranking mundial

O Brasil é o segundo país com mais casos de covid-19 no mundo. Só perde para os Estados Unidos, que somam mais de cinco milhões de contaminados e mais de 168 mil mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Ministério

O Ministério da Saúde informou, no início da noite de sábado que o Brasil contabilizou 709 óbitos e mais 41.576 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Ainda segundo o governo, no total, o País tem 107.232 mortes e 3.317.096 casos confirmados pelo coronavírus.

São 2.404.272 pessoas que já se recuperaram do coronavírus em todo o País. O número é diferente do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Consórcio de veículos de imprensa

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia. E se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais.

Send this to a friend