Em menos de 2 meses, quase triplicou o número de profissionais de saúde com Covid- 19

Atualmente, são 233.912 casos confirmados e 169 mortes entre os trabalhadores dessa categoria. No dia 12 de junho, o Brasil havia registrado 83.118 profissionais infectados e 169 óbitos

Em menos de dois meses, quase triplicou o número de profissionais de saúde com Covid-19 no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta quarta-feira (5).

Atualmente, são 233.912 casos confirmados e 169 mortes entre os trabalhadores dessa categoria. No dia 12 de junho, o Brasil havia registrado 83.118 profissionais infectados e 169 óbitos.

Técnicos e auxiliares de enfermagem lideram a lista, com 80.287 casos. Em seguida estão os enfermeiros, com 34.196 casos, médicos, com 24.402 confirmações, agentes comunitários de saúde, com 11.346 casos, e recepcionistas de unidades de saúde, com 10.110 casos.

“Nós queremos, na data do dia 5 de agosto, lembrar que hoje é o Dia da Saúde e parabenizar todos os profissionais que lutam, labutam dão a sua vida e se esforçam para produzir e gerar saúde e qualidade de vida para os brasileiros”, afirmou Arnaldo Correa de Medeiros, secretário nacional de Vigilância em Saúde.

Além dos dados divulgados sobre profissionais de saúde, Medeiros afirmou ainda que a pasta terá interesse em adquirir a primeira vacina que ficar disponível para a população, desde que tenha a eficácia comprovada.

A Fiocruz e a AstraZeneca assinaram no dia 31 de julho o documento que dará base para o acordo entre os laboratórios para a transferência de tecnologia e produção de 100 milhões de doses da vacina contra a Covid-19, caso seja comprovada a sua eficácia e segurança.

O secretário ressaltou que, se a eficácia for comprovada, o primeiro lote com 15 milhões de doses pode estar disponível ainda em dezembro.

“Nós estamos falando do SUS, [o Brasil] é reconhecido como um país de excelência no programa de vacinação, todos nós já fomos vacinados um dia pelo programa de imunização. Assim que tiver eficácia comprovada, vamos distribuir para os estados, e os estados vão distribuir para os municípios”, afirmou.

O secretário apresentou ainda dados sobre casos e mortes de Covid-19 em todo o país. Houve redução de 2% do número de casos da doença no país e queda de 7% também do número de mortes da 30ª para a 31ª semana epidemiológica.

Nesta quarta, o Brasil atingiu 97.256 mortes e 2.859.073 casos de infecção pelo novo coronavírus, segundo dados da pasta. Cada região, entretanto, se comportou de uma forma.

Na região Sul houve aumento de 11% tanto no número de casos quanto de mortes. No Norte houve redução de 16% no número de casos e de 39% do número de mortes.

Já no Centro-Oeste houve estabilização do número de casos, pois o acréscimo foi de apenas 2%, e aumento no número de óbitos de 8%.

Assim como no Centro-Oeste, houve estabilização no número de casos no Nordeste, com a diminuição de apenas 3% de casos confirmados e queda de 11% no número de mortes.

Houve estabilização também no Sudeste em razão da redução de apenas 3% do número de casos e queda de 8% no número de óbitos.

Send this to a friend