PF mira ex-ministro de Lula em operação que apura fraudes na Eletronuclear

Além do ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau, outras 11 pessoas são procuradas no DF, em São Paulo e no Rio de Janeiro

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (24), uma operação para investigar fraudes em contratos e pagamento de propina na empresa Eletrobras Eletronuclear. A ação da PF foi chamada de Operação Fiat Lux, um desdobramento da Lava Jato.

Um dos alvos é o ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau (MDB). Silas exerceu mandato entre 2005 e 2007, no segundo governo Lula. O ex-deputado federal Anibal Ferreira Gomes (DEM) também é procurado.

Segundo investigações, houve irregularidades no processo licitatório das obras da Usina Nuclear de Angra 3, em Angra dos Reis-RJ. Criou-se um clube de empreiteiras que desviava recursos da Eletronuclear.

Além do ex-ministro, agentes cumprem outros 11 mandados de prisão e mais 17 de busca e apreensão. A operação ocorre nas ruas do Distrito Federal e de São Paulo e Rio de Janeiro.

A corporação indicou ainda que a operação teve como base a colaboração premiada de dois lobistas ligados ao MDB, Jorge Luz e Bruno Luz, que foram presos em 2017, por ordem do ex-juiz Sério Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

17 + dezessete =

Send this to a friend