Witzel acusa Bolsonaro de já estar interferindo na Polícia Federal

Alvo de operação da PF nesta terça (26), governador do Rio de Janeiro acredita que “a interferência anunciada pelo presidente está devidamente oficializada”

Alvo de operação da Polícia Federal nesta terça-feira (26), o governador Wilson Witzel usou sua página no Facebook para se defender de acusações. Witzel aproveitou o espaço para afirmar que o presidente Jair Bolsonaro já está interferindo na PF.

Witzel abriu o pronunciamento afirmando que não participou de nenhuma irregularidade relacionada às suspeitas de desvios de recursos públicos destinados à Saúde do Rio de Janeiro. O governador afirmou que lhe estranha o fato de que alguns deputados bolsonaristas tenham tomado ciência da operação dias antes, o que “demonstra limpidamente que houve vazamento”.

Em seguida, o governador acusou Bolsonaro de interferir politicamente na PF. “A interferência anunciada pelo presidente da república está devidamente oficializada”, disse.

“Sigo em alinhamento com a Justiça para que se apure rapidamente os fatos. Não abandonarei meus princípios e muito menos o Estado do Rio de Janeiro”, concluiu Witzel.

Explicações

Quanto à parte que diz que deputados bolsonaristas já sabiam da operação, Witzel pode estar citando, entre outros parlamentares, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP). Na segunda (25), Zambelli disse à Rádio Gaúcha que a PF estava prestes a deflagrar operações contra governadores.

Já em relação às acusações contra Bolsonaro, Witzel se refere ao vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril. Nele, o presidente diz que trocará quem for preciso da PF para evitar “foder” com família e amigos. O fato configura interferência política, e isso levou, inclusive, o ministro Sergio Moro a deixar o governo.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

17 − 14 =

Send this to a friend