Número de casos no RS é 15 vezes maior do que o total confirmado pelo governo

Um levantamento nacional está previsto para começar nesta semana

O número de casos da covid-19 no Rio Grande do Sul é aproximadamente 15 vezes maior do que o número de casos confirmados pelo governo do Estado. O resultado está na pesquisa Epidemiologia da covid-19 no Rio Grande do Sul, que está usando uma metodologia similar à das pesquisas de intenção de votos para estimar o número real de infecções. Um levantamento nacional está previsto para começar nesta semana.

“Os números oficiais dão conta apenas dos casos mais graves; são apenas a ponta do iceberg que precisamos conhecer para combater a covid-19”, afirmou o coordenador do estudo, o epidemiologista Pedro Hallal, da Universidade de Pelotas, que também é responsável pelo estudo nacional. “Para tomar decisões em saúde, sobre quantos leitos, testes ou respiradores precisamos, por exemplo, temos que saber como a doença está se comportando em toda a sociedade.”

Os resultados apresentados nesta quarta-feira, 15, fazem parte da primeira fase da pesquisa estadual, que testou e entrevistou 4.189 pessoas em nove cidades entre os dias 11 e 13 de abril. Mais três etapas da pesquisa estão previstas para ser realizadas, com o mesmo número de entrevistados e a intervalos de duas semanas.

O objetivo é estimar o porcentual de gaúchos com anticorpos, avaliar a velocidade da expansão da infecção, determinar o porcentual de infecções assintomáticas e obter cálculos mais precisos de letalidade.

 

“Hoje temos uma fotografia da situação da epidemia no estado”, comparou Hallal. “Ao fim do estudo, esperamos ter um filme.”

Do total de 4.189 testes feitos no estado, dois deram resultado positivo para a presença de anticorpos. Isso significa que aproximadamente um em cada mil habitantes do estado tiveram a infecção, o que equivaleria a um total de 5.650 em todo o estado; número 14,7 vezes maior que os 384 confirmados oficialmente naquele período.

A tendência é que este número aumente nas próximas coletas, mas a velocidade dessa expansão vai depender da adesão da população às medidas de isolamento, segundo Hallal.

O levantamento mostrou que, por enquanto, os gaúchos estão cumprindo bem as medidas: aproximadamente 80% da população afirmou que está saindo de casa apenas para atividades essenciais (58,3%) ou que fica em casa o tempo inteiro (21,1%).

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

três + 11 =

Mais lidas

Send this to a friend