Deputado chama Bolsonaro de “covarde”

Mais cedo Bolsonaro deixou internautas e autoridades irritados ao se comparar a um leão acossado por hienas em meio às vitórias da esquerda e manifestações em outros países

Nesta segunda-feira o presidente Jair Bolsonaro teve a infelicidade de postar um vídeo no twitter em que se compara a um leão acossado por hienas em meio às vitórias da esquerda e manifestações em países da América Latina.

Após repercussão da postagem, o vídeo foi tirado do ar. Procurada, a Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) disse que não participou da postagem do vídeo e não comentará a publicação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O deputado federal Ivan Valente (PSOL) compartilhou em seu perfil do twitter sua indignação em relação à postagem do presidente. Em seu twitte, o deputado, chama Bolsonaro de “covarde”.

Nesta segunda-feira o presidente Jair Bolsonaro teve a infelicidade de postar um vídeo no twitter em que se compara a um leão acossado por hienas em meio às vitórias da esquerda e manifestações em países da América Latina.

Após repercussão da postagem, o vídeo foi tirado do ar. Procurada, a Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) disse que não participou da postagem do vídeo e não comentará a publicação.

O deputado federal Ivan Valente (PSOL) compartilhou em seu perfil do twitter sua indignação em relação à postagem do presidente. Em seu twitte, o deputado, chama Bolsonaro de “covarde”.

Ivan Valente @IvanValente
 

O covarde @jairbolsonaro tirou do ar vídeo que mostra ele lutando contra STF, ONU, OAB, partidos políticos e instituições. O recado, no entanto, foi passado. Este golpista afronta a democracia. Se ele esconde o vídeo, a gente mostra. As hienas são o Bolsonaro e seus milicianos.

Vídeo incorporado
1.725 pessoas estão falando sobre isso
 
 
Ivan Valente @IvanValente
 

Bolsonaro publicou vídeo ridículo no qual ele, representado por um leão, sofre ataque de ‘hienas’. Uma das hienas é o @STF_oficial. Na mesma semana em que áudios mostram que Queiroz continua sendo articulador político de maracutaias, Bolsonaro ataca o Supremo. É muita afronta!

390 pessoas estão falando sobre isso
 
 

Entre as hienas exibidas no vídeo compartilhado pelo presidente aparece o STF (Supremo Tribunal Federal), o PSL, partidos de esquerda como PT e PSOL, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e veículos de imprensa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

O vídeo termina com a chegada de um outro leão chamado de “conservador patriota” e com um apelo: “Vamos apoiar o nosso presidente até o fim e não atacá-lo”.

A montagem foi publicada no momento em que o presidente entrava numa limusine em Riade, capital da Arábia Saudita, a caminho de um jantar com o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman. Bolsonaro apagou o tweet pouco tempo depois. 

Na entrevista coletiva que concedeu assim que chegou a Riade, Bolsonaro foi mais comedido. Falou que a “bola está com eles”, referindo-se aos argentinos, e que para o Brasil “continua tudo normal”.

“Vi alguns petistas comemorando a eleição da Cristina Kirchner [eleita a vice-presidente], que sempre foi ligada a Lula, Maduro, Dilma, Chávez, Fidel. Me diga com quem tu andas que te direi quem és.”

Imprensa 

Na montagem, também são identificados como hienas veículos de comunicação a TV Globo, a revista Veja, a rádio Jovem Pan e os jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo.

Mais cedo, ao comentar áudios de Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio, Bolsonaro afirmou que órgãos de imprensa “jogam pesado” porque podem ter problemas na renovação de concessões.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O presidente responsabilizou a mídia por notícias que, na avaliação dele, tentam desestabilizá-lo.

Emissoras de rádio e TV precisam renovar contratos para operar. A atual permissão da Globo vence em 2023, durante o mandato de Bolsonaro.

A concessão é renovada ou cancelada pelo presidente, e o Congresso pode referendar ou derrubar na sequência o ato presidencial em votação nominal de 2/5 das Casas (artigo 223 da Constituição).

Segundo lei passada pelo governo Michel Temer (MDB), no entanto, o presidente pode decidir sobre a concessão até um ano antes de ela vencer -ou seja, em abril de 2022, último ano do mandato de Bolsonaro. As informações são da FolhaPress.

Crise

Bolsonaro está em crise com o PSL, negocia migrar para outras legendas e disse na última semana que pode até mesmo ficar sem partido algum. O presidente está em Riad, na Arábia Saudita, onde cumpre agenda de viagens pela Ásia e Oriente Médio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


No domingo, 27, a Argentina elegeu como presidente o peronista Alberto Fernández, integrante da mesma chapa da ex-presidente Cristina Kirchner. Bolsonaro lamentou o resultado e disse que não irá cumprimentar a chapa vencedora.

O presidente ficou incomodado com uma imagem publicada por Fernández, horas antes do resultado, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde 2018 no âmbito da Operação Lava Jato. “O primeiro ato do Fernández foi ‘Lula livre’, dizendo que está preso injustamente. Já disse a que veio”, avaliou.

Send this to a friend