Ao lado do dono da Havan, Bolsonaro diz que economia dá sinais de melhora

Sobre a décima terceira parcela do Bolsa Família, o presidente afirmou que será paga também nos anos seguintes e não só em 2019, como prevê medida provisória assinada esta semana por ele
O presidente Jair Bolsonaro disse em sua live semanal que a economia está dando sinais de melhora e com isso a tendência é não ocorrer mais contingenciamento do Orçamento da União neste ano. Segundo ele, fala-se muito em contingenciamento do passado, mas, segundo observou, contingenciamento é deixar de gastar e se entrar recurso na economia, libera. “Como está entrando recursos na economia, a tendência é não haver mais contingenciamento”, disse

Bolsonaro aproveitou para falar dos números do Caged divulgados pelo Ministério da Economia que revelaram saldo positivo de 157 213 vagas no mês de setembro. Foi o melhor resultado para o mês desde 2013. O presidente destacou a criação de emprego no Nordeste.

Ao lado de Bolsonaro, o empresário Luciano Hang, da Havan, disse acreditar que no ano que vem serão criados quase 2 milhões de empregos.

O presidente voltou a falar da queda da inflação e da taxa de juros. Ele disse que a inflação neste ano ficará abaixo do centro da meta e observou a taxa básica de juros em 5,5% ao ano. Ele corrigiu o número dado na semana passada de efeito da queda da taxa de juros sobre a dívida pública. “Atualizei o número que dei na semana passada, a cada 1 ponto de queda da Selic, a redução da dívida é de R$ 27 bilhões”.

Ainda sobre juros, o presidente também repetiu a fala da semana anterior quando, ao lado do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, comemorou a redução do juro cobrado na linha de cheque especial. “Vai lá ver como está o juro do cheque especial na Caixa”, convidou. Em seguida disse que o patamar da taxa do cheque especial, mesmo na Caixa, ainda é alto, mas está caindo. E completou dizendo que os bancos que não queriam acompanhar a Caixa na queda dos juros já estão acompanhando.
 

13º do Bolsa Família garantido para os outros anos

 
Sobre a décima terceira parcela do Bolsa Família, o presidente  afirmou que será paga também nos anos seguintes e não só em 2019, como prevê medida provisória assinada esta semana por ele. Segundo Bolsonaro explicou, o 13º do programa “está garantido para os outros anos”, pois “vai entrar na LOAS”, a Lei Orgânica da Assistência Social, que tem um orçamento específico e concede benefícios a pessoas de baixa renda.

Bolsonaro ainda lembrou que a decisão de conceder o adicional natalino vai aumentar o valor previsto para o Bolsa Família neste ano para R$ 33 milhões – R$ 2,9 bilhões a mais que o inicialmente programado para o ano antes da assinatura da MP do 13º.

O texto da MP de Bolsonaro garante o pagamento de uma 13ª parcela do Bolsa Família, como abono natalino, mas apenas para este ano. A promessa de campanha de Bolsonaro era de que o benefício seria permanente, o que foi reforçado agora na Live. Para assegurar o adicional, a MP diz que “a parcela de benefício financeiro relativa ao mês de dezembro de 2019 será paga em dobro”.

O Bolsa Família atende famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e de pobreza, com renda de até R$ 178. Na folha de setembro, 13,5 milhões de famílias receberam o benefício. O valor médio pago foi de R$ 189,21.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend