Mortes por balas perdidas causam protestos no estado do Rio de Janeiro

No último fim de semana, pelo menos três rapazes morreram vítimas de tiroteios em ações promovidas pela polícia na guerra contra o tráfico de drogas

Um protesto pela morte de Henrico de Jesus Viegas de Menezes Júnior, de 19 anos, fechou ruas de Magé, na Baixada Fluminense, no fim da tarde de ontem (13). Ele foi atingindo por uma bala perdida, por volta das 15h, durante confronto entre policiais e criminosos, na Comunidade Terra Nova, no Bairro Lagoa. O jovem foi socorrido, mas chegou morto ao hospital.
 
Os manifestantes atearam fogo em pneus e jogaram pedras na sede da prefeitura. Ônibus e caminhões de coleta de lixo tiveram a circulação interrompida por causa do protesto, que foi dispersado pela Polícia Militar no fim da noite.
 
Em nota, a PM informou que um criminoso foi ferido na tarde de ontem e socorrido no Hospital Municipal de Magé, “após entrar em confronto com policiais do 34º BPM, durante operação na comunidade Terra Nova.” Segundo a PM, foram encontrados com ele um revólver, um rádio, drogas e um caderno de anotações para o tráfico.
 
A família diz que Henrico não tinha envolvimento com o crime e trabalhava em um supermercado.

Niterói

Em Niterói, o adolescente Dyogo Coutinho, de 16 anos, foi atingido durante uma troca de tiros entre policiais militares e traficantes, na comunidade da Grota, por volta do meio-dia de ontem.
 
O rapaz sonhava em ser jogador de futebol e, na hora do tiroteio, estava indo para um treino. Ele foi atingido e caiu no meio da rua. O avô de Dyogo, que é motorista de ônibus, passava pelo local e levou o neto para o hospital, mas o garoto não resistiu aos ferimentos.
 
Depois da confirmação da morte de Dyogo, os moradores da favela da Grota fizeram um protesto nas proximidades da comunidade. Eles fecharam ruas da região e incendiaram um ônibus.
 
Em nota, a Polícia Militar informou que realizou operação nas comunidades do Viradouro, Igrejinha e Grota, e que, depois de a ação ter terminado, chegou ao conhecimento da PM que um indivíduo teria sido atingido por disparos de arma de fogo e não resistiu.
 
A PM informou também que na operação foram apreendidos um fuzil AK-47, duas pistolas e uma quantidade ainda não contabilizada de drogas. Três suspeitos foram presos e um menor foi apreendido.

Tijuca

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Outro protesto na tarde de ontem ocorreu na Tijuca, na zona norte do Rio de Janeiro. Integrantes do movimento Vidas Negras Importam se reuniram na Rua Conde de Bonfim, em frente ao ponto de ônibus onde o estudante Gabriel Pereira Alves, de 18 anos, foi morto na manhã de sexta-feira (9), ao ser atingido por uma bala perdida.
 
Os manifestantes fecharam a pista por 20 minutos e depois seguiram no sentido Usina. O protesto foi acompanhado pela Guarda Municipal e pela Polícia Militar e transcorreu pacificamente.

Com informações da Agência Brasil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend