Jean Wyllys coloca em dúvida atentado contra Bolsonaro

Jean Wyllys desiste de tomar posse para novo mandato

Em entrevista à revista Época publicada neste domingo (24), o ex-deputado Jean Wyllys (PSOL) afirmou que se alguém quisesse de fato atentar contra a vida do presidente Jair Bolsonaro (PSL) não usaria uma faca de pão

Perguntado pela revista sobre como lidou com as difamações virtuais que sofreu, sobretudo as que tentaram associar sua imagem ao atentado contra o Bolsonaro, o ex-deputado respondeu:

As fake news são um fenômeno complexo e vou me debruçar sobre isso no doutorado. Elas operam nos contextos de cada país e, no Brasil, parte das pessoas acreditam porque não estão preparadas para lidar com a distorção que fazem entre fatos e não fatos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Outras pessoas se apegaram a elas como justificativas para algo que elas já tinham. Elas encontraram nas fake news uma âncora para justificar o ódio contra mim. Mas é óbvio que uma pessoa com dois neurônios, que faça uma sinapse, sabe que eu jamais poderia ser mandante de um crime, pois não sou assassino, criminoso, nem ligado à milícia.

Se alguém quisesse de fato atentar contra a vida dele, usaria uma arma de fogo, um fuzil a longa distância e não uma faca de pão no meio de uma multidão”

Quem é ligado à milícia é o presidente da República, não eu. Se alguém poderia encomendar uma morte era ele, não eu. E ademais esse atentado contra o Bolsonaro está para ser explicado. Se alguém quisesse de fato atentar contra a vida dele, usaria uma arma de fogo, um fuzil a longa distância e não uma faca de pão no meio de uma multidão.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend