‘Bolsonaro precisa mostrar o que é nova política’, afirma Rodrigo Maia

De acordo com o presidente da Câmara, o presidente Jair Bolsonaro diz que está sendo pressionado pela ‘velha política’, mas precisa dizer o que é a ‘nova política’

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse neste sábado que o governo de Jair Bolsonaro não pode “terceirizar a articulação” política com o Congresso.

Maia deu a declaração ao chegar para uma reunião do PPS, em Brasília.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Segundo o deputado, Bolsonaro não pode transferir para os presidentes da Câmara e do Senado a responsabilidade que, na visão de Maia, deveria ser do presidente da República.

“É importante que o governo acerte na articulação. E ele não pode terceirizar a articulação como ele estava fazendo. Quer dizer, transfere para o presidente da Câmara e para o presidente do Senado uma responsabilidade que é dele e fica transferindo e criticando: ‘Ah, a velha política está me pressionando, estão me pressionando’. Então ele precisa assumir essa articulação, porque ele precisa dizer o que é a nova política”, afirmou Maia.

A relação entre Maia e o Palácio do Planalto se desgastou nos últimos dias. Primeiro, ele teve um atrito, na quarta-feira (20) com o ministro da Justiça, Sergio Moro, sobre a tramitação do pacote anticorrupção enviado pela pasta a Câmara.

Depois, Maia demonstrou insatisfação pelo fato de, na avaliação do deputado, o governo não estar se envolvendo como deveria nas negociações pela reforma da Previdência.

Nesta sexta (22), ele afirmou que Bolsonaro precisa dedicar “mais tempo para cuidar da reforma da Previdência e menos tempo” para as redes sociais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Bolsonaro, em viagem oficial para o Chile, disse que “não deu motivo” para Maia deixar articulação da Previdência.

Neste sábado, ao chegar para a reunião do PPS, Maia afirmou ainda que os deputados sabem que o Brasil mudar, mas ponderou que o governo precisa tomar iniciativa.

“O Brasil quer construir um ambiente novo, ele [Bolsonaro] foi eleito para isso, ele precisa colocar alguma coisa no lugar”, disse o parlamentar.

Maia afirmou ainda que o presidente deveria, ao voltar de viagem ao exterior, conversar pessoalmente com os partidos que apoiam a reforma da Previdência.

“Na próxima semana, a gente precisa voltar a trabalhar pela reforma da Previdência. Eu, dentro da Câmara, dialogando com os partidos, com os deputados, e o presidente da República assumindo de forma definitiva o que é o seu papel: a articulação em nome do governo.”

Perguntado sobre a crise no relacionamento entre Executivo e Legislativo nesta semana, Maia disse que ela foi criada pelo próprio governo.

“Do meu ponto de vista, ela não devia nem ter sido criada, mas ela foi criada pelo entorno do governo. Para mim já acabou, já falei o que eu tinha para falar. Agora eu quero focar naquilo que eu acredito que é fundamental. Que é mudar o Brasil, reorganizar o Estado brasileiro para que o Estado brasileiro deixe de servir a poucas corporações públicas e privadas e passe a servir a sociedade brasileira”, completou o presidente da Câmara.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend