Deputado Pastor Isidório afirma que criminalização da homofobia trará “guerra santa” e propõe instituir o “Dia do Orgulho Heterossexual”

Deputado Pastor Isidório (AVANTE/BA) afirma que criminalização da homofobia trará "guerra santa" e propõe instituir o "Dia Nacional do Orgulho Heterossexual"

Deputado estreou na Câmara em 2019, sendo o mais votados da Bahia

No momento em que o STF discute a criminalização da homofonia, um dos novos rostos da Câmara dos Deputados, Pastor Sargento Isidório (Avante-BA) representa a ala conservadora nos costumes. Autodeclarado “ex-gay”, o baiano entende que a criminalização da homofobia traria uma “guerra santa” ao país.

A Corte discute desde a semana passada o assunto, mas, até agora, apenas quatro ministros votaram. Não há data para que o julgamento seja retomado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


No STF, os ministros afirmaram que prever a punição da homofobia não ameaça a liberdade religiosa. Os padres e pastores poderiam continuar pregando sua doutrina religiosa, mesmo nos casos em que os textos sagrados pregam de forma contrária à orientação sexual LGBT.

Deputado mais votado da Bahia, Pastor Isidório se auto-declara “ex-gay”

“Eu sou ex-homossexual, então tenho convicção de que é possível viver respeitando uns aos outros. E por que que a gente vai aceitar que haja uma lei que vai estimular uma guerra? O que vai acontecer é uma guerra santa, tá entendendo?”, disse o deputado Isidório

O deputado comparou a questão da criminalização à criminalidade de menores infratores. É como os menores. Por que os menores de idade cometem muito crime? Porque se acham protegidos pelo ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), que eles se acham acima da lei”, disse.

O baiano é fiel seguidor da Bíblia – e carrega o livro por todas as dependências do Congresso. Na última semana, inclusive, portava uma debaixo do braço e outra em um suporte acima da cabeça. Ele justificou que o ato era um protesto contra o julgamento do STF, que “quer proibir a interpretação da Bíblia”.

O pastor também considera que o assunto deveria ser discutido pela Câmara, não pautado pelo Supremo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 
“Se nada for feito para impedir, muito em breve tornar-se-á crime ser ou se declarar heterossexual.(…). Pastor Isidório

Dia Nacional do Orgulho Heterossexual

Com a mudança de opção sexual, há 24 anos, um dos primeiros projetos d e lei protocolados por Isidório foi a criação do “Dia do Orgulho Hétero”. Nesta quarta-feira (20), durante discurso na tribuna, reforçou que é “ex-gay” e falou sobre o projeto.

O deputado afirma que “Se nada for feito para impedir, muito em breve tornar-se-á crime ser ou se declarar heterossexual.(…) Nós, legisladores, nos preocupamos com a preservação da tartaruga, do macaco prego, da baleia, dentre outros animais em risco de extinção. Por óbvio, é de suma importância centrar atenção também em nós seres humanos machos e fêmeas”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend