Siga o Jornal de Brasília

Política e Brasil

Janot rescinde delação premiada de Joesley e Saud

Publicado

em

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu rescindir a delação premiada firmada com executivos da JBS, que faz parte do grupo J&F, Joesley Batista e Ricardo Saud.

A informação consta na denúncia apresentada pela PGR ao Supremo Tribunal Federal (STF) e que inclui, além dos dois delatores, o presidente Michel Temer e membros do PMDB. No entanto, Janot ressalta que as provas apresentadas por eles continuam sendo válidas.

“Em razão de fatos novos, foi instaurado Procedimento de Revisão acerca destes ajustes firmados e o Procurador-Geral da República concluiu que houve omissão deliberada, por parte dos referidos colaboradores, de fatos ilícitos que deveriam ter sido apresentados por ocasião da assinatura dos acordos. Em razão disso, houve a rescisão destes Ajustes, mas isso não limita a utilização das provas por eles apresentadas”, diz um trecho da denúncia.

A rescisão surge após um áudio ter sido enviado para a PGR de uma conversa gravada entre Joesley e Saud. Os dois debatiam formas de não serem presos e sobre o que – ou quem – falariam na delação premiada. Após a revelação da gravação, todos os envolvidos – incluindo o ex-procurador Marcelo Miller – foram ouvidos por horas pela entidade.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Entre os benefícios acertados com a PGR, Joesley e Saud não seriam presos pelos crimes que cometeram. No entanto, desde o início da revisão, ambos estão detidos por um pedido de detenção provisória.

Funaro

Funaro acusa Temer de se beneficiar de propina de Angra 3

O procurador também pede que os fatos relacionados a Eduardo Cunha, ao doleiro Lucio Funaro e à irmã dele, Roberta Funaro, que surgiram ao longo das investigações do caso JBS sejam encaminhados para análise a Justiça Federal do Distrito Federal.

Janot não denunciou os três, apesar de eles estarem citados na denúncia do crime de obstrução de justiça que o presidente Michel Temer teria cometido junto co Joesley Batista e Ricardo Saud para que Cunha e Funaro não fizessem acordo de colaboração premiada.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta