Siga o Jornal de Brasília

Política e Brasil

Adriana Ancelmo chega para ser interrogada em processo da Operação Calicute

Publicado

em

Adriana Ancelmo chega para ser interrogada em processo da Operação Calicute

Ex-primeira-dama responde por corrupção e lavagem de dinheiro no esquema chefiado, segundo o MPF, por Sérgio Cabral. Juiz homologa acordo de delação do presidente da Rica Alimentos.

A advogada Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sérgio Cabral, chegou por volta das 14h05 desta quarta-feira (10) à Justiça Federal, no Centro do Rio, para prestar depoimento no processo a que responde por suspeita de integrar a quadrilha liderada pelo marido, de acordo com o Ministério Público Federal.

Logo no início da audiência, o juiz Marcelo Bretas anunciou que homologou acordo de delação do presidente da Rica Alimentos, Luiz Igayara. Ele foi interrogado antes de Adriana Ancelmo e afirmou que que Sergio Cabral pediu para ele “legalizar” R$ 50 mil que seriam “sobras de campanha” em 2007.

Adriana Ancelmo é acusada de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa pela força-tarefa da Lava Jato no Rio. O ex-governador é acusado de liderar um grupo que desviou R$ 224 milhões em obras como a reforma do Maracanã e a construção Arco Metropolitano, entre outras.

Adriana Ancelmo é acusada pelo MPF de receber propina em seu escritório de advocacia e realizar pagamentos a integrantes do grupo. Ela também, de acordo com investigadores, lavaria parte do dinheiro comprando joias.

A ex-primeira-dama foi presa em dezembro e cumpre prisão domiciliar em seu apartamento no Leblon, na Zona Sul do Rio. Ela teve a prisão domiciliar revogada, mas aguarda o julgamento de um recurso em casa. Há cerca de dez dias, ela prestou depoimento com Cabral ao juiz Sergio Moro em Curitiba.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *