Rosso usa rede social e defende debate durante eleição na Câmara Federal

Segundo Rosso, a presidência da Câmara se tornou um tema ainda mais relevante para a população já que, em eventuais ausências do presidente Michel Temer, é o deputado que comanda a Casa quem assumirá interinamente a presidência da República.

Líder do PSD na Câmara Federal, Rogério Rosso (DF), pré-candidato à presidência da Casa, divulgou vídeo no Facebook nesta terça-feira (3) no qual sugere a realização de debates na mídia entre os concorrentes ao posto.

Segundo Rosso, a presidência da Câmara se tornou um tema ainda mais relevante para a população já que, em eventuais ausências do presidente Michel Temer, é o deputado que comanda a Casa quem assumirá interinamente a presidência da República.

“É claro que os nossos eleitores são os deputados, porém, dado que o novo presidente da Câmara será na linha sucessória o vice-presidente ou substituto do presidente em eventuais necessidades do presidente Michel Temer, o povo brasileiro precisa conhecer quem são os candidatos e quem o parlamento vai escolher”, afirmou Rosso no vídeo.

“Eu queria aproveitar essa oportunidade e sugerir aos veículos de comunicação que promovam debates entre os candidatos à presidência da Câmara para que o povo brasileiro saiba como pensam os deputados sobre os mais variados temas de relevância para o povo brasileiro”, concluiu o deputado.

No dia 2 de fevereiro, os deputados se reunirão no plenário para definir a nova composição da Mesa Diretora. Além da presidência da Câmara, estão em jogo os cargos de primeiro e segundo vice-presidentes, além do comando de quatro secretarias e quatro vagas de suplentes de secretários.

Reeleição

O principal adversário de Rosso na disputa da presidência da Casa deve ser o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que faz articulações para ser reeleito.

Opositores argumentam, contudo, que o regimento interno impede que o presidente seja reconduzido dentro de uma mesma legislatura.

Maia discorda do posicionamento e, nos bastidores, estuda pareceres jurídicos que sustentam sua reeleição. A base do argumento é que ele pode se candidatar por exercer atualmente um “mandato-tampão” para concluir o mandato de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que renunciou à presidência da Casa em julho. Cunha tinha mandato até fevereiro deste ano.

O “Centrão”, bloco de partidos médios que fazem parte da base do governo, está dividido e dois deputados já apresentaram candidatura: além do próprio Rosso, o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO).

O PDT também anunciou que irá lançar o nome do deputado André Figueiredo (CE). Outras candidaturas ainda podem aparecer, já que o registro dos candidatos ocorre pouco antes da realização do pleito.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

20 − cinco =

Mais lidas

Send this to a friend