Siga o Jornal de Brasília

Política e Brasil

Alckmin ameaça apoiar nome anti-Aécio para a Câmara

Avatar

Publicado

em

O controle sobre a estrutura partidária é visto como primordial para que ele consiga criar condições de desmontar a posição quase hegemônica que Aécio conquistou à frente do tucanato nos últimos quatro anos.

Folha de S.Paulo

Daniela Lima

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Aliados do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), dizem que ele está disposto a endurecer os termos de uma negociação com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional do partido, para conquistar uma “projeção partidária compatível com o patamar que ele tem hoje na política”.

Para isso, seu grupo promete fazer carga em torno da presidência da Câmara –a eleição ocorrerá em fevereiro do ano que vem.

A tese é: se Aécio não fizer um gesto a Alckmin demonstrando disposição de abrir espaço a ele no comando da sigla, a ala ligada ao governador –não só no PSDB, mas em partidos como o PSB– poderá dar suporte a uma candidatura alternativa à dos tucanos para a presidência da Câmara, rachando a sigla.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Como mostrou a Folha na semana passada, o governador paulista, fortalecido com a vitória de seu afilhado João Doria para a prefeitura de São Paulo, quer emplacar um aliado no comando do PSDB.

O controle sobre a estrutura partidária é visto como primordial para que ele consiga criar condições de desmontar a posição quase hegemônica que Aécio conquistou à frente do tucanato nos últimos quatro anos.

Alckmin e Aécio disputam hoje o título de presidenciável do PSDB nas eleições de 2018. Procurado pela Folha, o senador mineiro contemporizou. “Não vamos antecipar esse processo. 2018 só vem depois de 2016 e de 2017.”

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Sem citar nomes, Aécio disse ainda que o PSDB obteve resultados “extraordinários” nas eleições deste ano, mas que não adianta “só eleger”.

“O PSDB teve um extraordinário resultado nessas eleições. Mas isso só se converterá em um ativo eleitoral à frente. Não adianta só eleger, tem que fazer um bom governo, para que tenha um impacto em 2018. A hora agora é de apoiar as reformas do governo Temer. Esse vai ser o passaporte do nosso futuro.”

Aécio apadrinha dois nomes para a sucessão do hoje presidente dos deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ): Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Antonio Imbassahy (PSDB-BA).

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Segundo aliados, Alckmin aceitaria endossar esses nomes, se houvesse, em troca, uma sinalização clara de que seu grupo poderá, em maio, assumir o comando do PSDB.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *