Siga o Jornal de Brasília

Política e Brasil

Em cerimônia disputada, Cármen Lúcia toma posse como presidente do STF

Publicado

em

Entre as autoridades presentes, dois ex-presidentes, Lula e Sarney, e o atual presidente Michel Temer. A ministra ficará à frente da Corte pelos próximos dois anos. É a segunda mulher a comandar a Corte

MANOELA ALCÂNTARA

Em uma cerimônia concorrida, a ministra Cármen Lúcia toma posse como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) na tarde desta segunda-feira (121/9). Entre as autoridades, dois ex-presidentes, Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney, e o atual chefe do Executivo federal, Michel Temer (PMDB).

Os três entraram pela parte de trás do STF, rumo ao salão branco. Temer chegou acompanhado da esposa, Marcela Temer. O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) também participa da cerimônia. Ele chegou ao local por volta das 15h, sem a esposa, Márcia Rollemberg. Estava acompanhado apenas de seguranças e de assessores.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

A ministra Cármen Lúcia será a segunda mulher a comandar o Supremo pelos próximos dois anos. Depois de 10 anos de atuação no STF, ela toma posse nesta segunda-feira com a promessa de levar austeridade e humanização para a Corte. O vice é o ministro Dias Toffoli. Ao todo, 56 pessoas ocuparam a cadeira de presidente do Supremo na história do Brasil.

Sucessora de Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia afirmou na última quarta-feira (7/9), que prefere ser chamada de presidente a “presidenta”, como era feita a referência à ex-presidenta Dilma Rousseff (PT).

Cármen Lúcia chefiará ainda o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão de controle do Judiciário. Participam também da cerimônia o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-SP) e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (PMDB-RJ); o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; além de Ricardo Lewandowski.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O ministro do STF Celso de Mello abriu a solenidade. Ele afirmou que a posse da ministra significa também um Brasil mais justo , mais digno, sem discriminação. “Um Brasil que leva em consideração a igualdade pela consagração da competência, mostrando que homens e mulheres são igualmente capazes e desconstruindo práticas histórias de subjulgamento por questão de gênero”.

Celso de Mello lembrou ainda que Cármen Lúcia é a 10ª pessoa de Minas Gerais a ocupar a presidência da Corte. “Essa mineira ilustre, natural de Montes Claros (MG) recebeu educação primorosa e se tornou grande orgulho à família. Aos irmãos e ao pai, que deve estar assistindo essa cerimônia neste momento”, afirmou. (Aguarde mais informações)

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *