Dilma muda de destino e troca Porto Alegre por apartamento da mãe no Rio

Roberta Pennafort

O pouso da ex-presidente Dilma Rousseff no Rio fica em Ipanema e é um prédio majoritariamente “coxinha”. Moradores fizeram “panelaços” durante pronunciamentos de Dilma e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na televisão e participaram de passeatas em defesa do impeachment na orla da zona sul.

Com apartamentos avaliados em cerca de R$ 2 milhões, o edifício é de classe média alta, mas sem luxos. Seu trunfo é a localização, a 200 metros da Avenida Vieira Souto, na praia de Ipanema, e perto do Arpoador, um dos pontos mais bonitos do litoral carioca.

A assessoria de Dilma não confirma que ela se mudará em definitivo para o Rio. Divulgou apenas que a ex-presidente deixará Brasília na segunda ou na terça-feira, rumo a Porto Alegre, onde moram sua filha única, Paula, e os netos, Gabriel e Guilherme, e que, a partir de agora, Dilma deverá ser vista com mais frequência no Rio.

O apartamento da mãe da ex-presidente, Dilma Jane, de 92 anos, fica no número 212 da Rua Joaquim Nabuco. Arborizada, a via começa na praia de Copacabana e termina na de Ipanema. A família é vista no prédio esporadicamente e, mesmo acompanhada de seguranças, não chama a atenção da vizinhança.

“Dilma e a mãe são pessoas discretas. A mãe é uma senhora muito simpática. Ninguém será destratado, somos todos educados. No Rio, estamos acostumados a encontrar políticos e artistas na rua, ninguém liga muito”, disse ontem a advogada Renata Cabral, de 46 anos, que mora no prédio desde que nasceu. Ela participou de manifestações pelo impeachment e contra a corrupção no País. “Queremos que o Brasil cresça, que os investimentos voltem, que os 12 milhões de desempregados tenham emprego.”

No ponto mais nobre da Joaquim Nabuco, o edifício se chama Ministro Pacheco de Oliveira (1880-1951) – homenagem a um antigo morador, advogado e político baiano, um dos fundadores do Partido Social Democrático (PSD), extinto em 1965 e cujos integrantes migraram então para o MDB, hoje PMDB (recriada em 1987, a legenda foi incorporada ao PTB em 2003).

O apartamento em que a ex-presidente ficará tem 125 metros quadrados e três quartos, como as demais unidades do prédio. Não há “sinais de riqueza”, contou o cabeleireiro Oswaldo Paiva, que já atendeu por duas vezes o ex-marido de Dilma, Carlos Araújo, em uma temporada no Rio. Paiva trabalhava num salão na rua, mas Araújo preferiu, por discrição, cortar o cabelo em casa. “É bem classe média, simples, com móveis antigos, nada de especial. O que chamou a atenção foram as várias TVs ligadas, todas em noticiário”, Paiva relatou.

O condomínio custa R$ 1.000. O IPTU, cerca de R$ 2.400 por ano. Construído nos anos 60 do século passado, o prédio tem 32 apartamentos, quatro em cada um dos oito andares. Diante da presença de jornalistas ontem, os funcionários foram orientados a não dar entrevistas. Já os porteiros de outros edifícios da rua brincavam com a possibilidade de ter mais uma moradora ilustre ali (já residiram na Joaquim Nabuco os atores Miguel Falabella, Eliane Giardini e Alexandre Borges). “Vai virar a rua das celebridades”, riu um deles.

Os vizinhos relatam já terem visto Dilma, a mãe e a filha, por lá, além do ex-marido. Alguns estão se sentindo incomodados com o assédio da imprensa. “Primeiro eu achei que a presença dela poderia trazer mais segurança. Mas agora já tem paparazzi. Não tinha necessidade de divulgarem o endereço. Depois do que aconteceu em São Paulo, tenho medo de protestos violentos”, contou uma moradora, referindo-se às recentes manifestações contra o impeachment.

“Eu não tenho lado, só torço para que o novo governo dê certo. As pessoas estão cansadas e descrentes. Pior do que está não vai ficar”, declarou a moradora, que vive ali há 50 anos e recentemente bateu panelas contra Dilma. Ela preferiu não ter a identidade divulgada.

Gabriel, de seis anos, e Guilherme, de oito meses, não terão um playground incrementado para brincar: a área externa do prédio é compacta, sem brinquedos. Na praia, os irmãos poderão se divertir no Ipa Bebê, área de lazer montada na areia, bem na altura da Joaquim Nabuco, e frequentada por bebês e crianças da área.

Ipanema é o segundo bairro mais caro do Rio para o setor imobiliário – só perde para o vizinho Leblon. O ponto do prédio de Dilma é valorizado pela presença do metrô, de bons restaurantes e do Hotel Fasano, distante poucos metros do endereço carioca da ex-presidente.

Send this to a friend