HomeNotíciasInternacionalProcurador-geral renunciará após divergência com Trump sobre fraude eleitoral

Procurador-geral renunciará após divergência com Trump sobre fraude eleitoral

Em publicação no Twitter, Trump explicou que Barr deixará o governo “pouco antes do Natal para passar as festas com sua família”
FILE - In this Oct. 15, 2020, file photo Attorney General William Barr speaks during a roundtable discussion on Operation Legend, a federal program to help cities combat violent crime in St. Louis. Attorney General William Barr said Tuesday, Dec. 1, that the Justice Department has not uncovered evidence of widespread voter fraud and has seen nothing that would change the outcome of the 2020 presidential election. (AP Photo/Jeff Roberson, File)

Procurador-geral renunciará após divergência com Trump sobre fraude eleitoral

Em carta ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o procurador-geral do país, William Barr, informou que renunciará ao cargo em 23 de dezembro. A decisão acontece em meio a tensões com o líder da Casa Branca, por divergências públicas em relação às acusações infundadas de fraude nas eleições presidenciais de novembro.

Em publicação no Twitter, Trump explicou que Barr deixará o governo “pouco antes do Natal para passar as festas com sua família”. Segundo a mensagem, o vice-procurador-geral, Jeff Rosen, assumirá a função de procurador interino, e será sucedido por Richard Donoughe na função atual. “Acabei de ter uma ótima reunião com o procurador-geral Barr na Casa Branca. Nosso relacionamento tem sido muito bom e ele fez um excelente trabalho”, elogiou.

No mês passado, no entanto, Trump expressão insatisfação com uma entrevista de Barr à Associated Press, em que ele afirmou que o Departamento de Justiça (DoJ) não havia encontrado indícios de fraude no pleito que elegeu Joe Biden o 46º presidente dos EUA. Na ocasião, questionado sobre se ainda tinha confiança no procurador, o presidente foi evasivo: “me pergunte em algumas semanas”.

Na carta a Trump, Barr não citou as discordâncias com Trump e garantiu que o DoJ segue “revisando” as supostas irregularidades no processo eleitoral. “Em um momento em que o país está tão profundamente dividido, é importante que todos os níveis de governo e agências ajam de acordo com o que estiver em seu alcance para garantir a integridade das eleições e promover a confiança pública em seus resultados”, destacou.

Barr também se disse “honrado” por trabalhar no governo e elogiou o presidente republicano pelo que ele considera “conquistas sem precedentes”. Também citou acordos de paz firmados no Oriente Médio e o rápido desenvolvimento de vacinas para a covid-19. “Em seu governo, o Departamento de Justiça trabalhou para proteger o público de crimes violentos, trabalhou de perto com líderes do México para combater cartéis criminosos”, escreveu.

Send this to a friend