Médicos imprimem fotos de seus rostos e colam em uniforme para atender pacientes com coronavírus

Paramentados com máscaras, óculos de proteção, luvas, touca e uma roupa hospitalar especial para evitar ao máximo o contato com o novo coronavírus

Paramentados com máscaras, óculos de proteção, luvas, touca e uma roupa hospitalar especial para evitar ao máximo o contato com o novo coronavírus. Assim é a vestimenta dos agentes de saúde que estão na linha de frente do combate a pandemia de covid-19.
Em Los Angeles, nos Estados Unidos, o médico Robertino Rodriguez, especialista em terapia respiratória, teve uma ideia para humanizar os atendimentos: imprimir uma foto do rosto dele e colar no uniforme. Desta forma, seus pacientes poderiam ter noção de quem ele é.

“Ontem me senti mal pelos meus pacientes em sala de emergência quando entrava na sala com o rosto coberto de EPI. Um sorriso tranquilizador faz uma grande diferença para um paciente assustado. Hoje fiz um distintivo laminado gigante para o meu EPI. Para que meus pacientes possam ver um sorriso tranquilizador e reconfortante”, declarou o especialista.

Robertino Rodriguez não imaginaria que seu gesto serviria como exemplo para outros profissionais da área da saúde e que lutam contra o coronavírus.

O enfermeiro Derek Devault gostou da ideia do médico Robertino Rodriguez e decidiu imitar. “Achei que era uma maneira bonita de trazer facilidade aos nossos pacientes durante esse período estressante. Obrigado a todos os profissionais de saúde por lutarem nas linhas de frente. Para todos aqueles que estão em casa, um grande grito para vocês! Eu sei que isso também não é fácil”, afirmou.

 

Também nos Estados Unidos, a médica Peggy Ji não conseguiu imprimir uma foto do rosto, mas utilizou uma revelação feita por uma câmera Polaroid. No crachá que decidiu improvisar, os simpáticos dizeres: “Olá, eu sou a Peggy! Estamos aqui para cuidar de você!”.

Nas redes sociais, a médica disse que foi inspirada por Rodriguez, que também atua como fisioterapeuta nesta pandemia de covid-19. “Eu não tinha uma foto pré-impressa ou uma impressora colorida, então minha Polaroid fez isso. Eu queria trazer um toque pessoal para cuidar de pacientes através do meu EPI. Minha esperança é que nossos pacientes saibam que há um sorriso tranquilizador sob essa máscara e que estamos aqui para eles”, concluiu.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

quatro × cinco =

Send this to a friend