OMS: países devem isolar, testar, tratar e traçar rumos do coronavírus

O Itamaraty diz acompanhar turistas brasileiros que tentam retornar ao Brasil

A Organização Mundial de Saúde (OMS) ressaltou em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 18, a importância de que os países realizem testes, isolem os casos confirmados de coronavírus, tratem os doentes e tracem os rumos da doença para combatê-la. “Não concluam que sua comunidade não será afetada, preparem-se como se ela fosse”, advertiu o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em Genebra.

A OMS informou que já recebeu confirmação de mais de 200 mil casos de coronavírus pelo mundo, com mais de 8 mil mortes. “Sabemos que há dificuldade tremenda enfrentada pelos países e que há escolhas difíceis a fazer”, comentou o diretor-geral sobre as medidas para conter a circulação de pessoas para combater a doença. “As medidas de distância física, como cancelar eventos, podem ajudar contra o vírus”, lembrou, citando especialmente grandes eventos, inclusive religiosos, nos quais grupos grandes de pessoas vindas de diferentes partes de uma área se encontram.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Os casos confirmados leves também devem ser isolados”, ressaltou a OMS, insistindo na necessidade de se fazer testes e isolar os casos para conter a disseminação. A entidade disse que a estratégia de desacelerar a curva de casos está salvando vidas e ganhando tempo para que possa ser desenvolvido algum tratamento ou vacina. O diretor-geral afirmou que o coronavírus é “uma ameaça sem precedentes”, mas também uma “oportunidade para solidariedade” entre pessoas e nações. Ele informou que já foram levantados mais de US$ 43 milhões para um fundo de solidariedade no combate à doença e que, se houver necessidade, países podem receber ajuda da OMS para garantir a capacidade de realizar testes.

Ao responder a uma questão sobre como o coronavírus afeta as crianças, a OMS afirmou que elas também são infectadas e podem desenvolver a doença, mas em geral com sintomas leves. Um estudo na China, contudo, mostrou que algumas das crianças desenvolveram sintomas “severos” e que uma delas morreu, advertiu a entidade.

 

Itamaraty diz acompanhar turistas brasileiros que tentam retornar ao País

O Itamaraty afirmou nesta quarta-feira, 18, que acompanha com atenção a situação de turistas brasileiros que enfrentam dificuldades para retornar ao País diante da crise pandêmica do novo coronavírus. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, são milhares de pessoas nessa situação após países de diferentes regiões decidirem restringir ou fechar por completo a circulação dentro e fora de seus territórios. Os principais pontos de atenção estão no Peru, Marrocos e Vietnã.

“O Itamaraty acompanha com atenção a situação de turistas brasileiros no Peru, Marrocos, Vietnã, entre outros países. Por meio das embaixadas, estão sendo feitas gestões junto a autoridades locais, para o pronto regresso de brasileiros”, disse o Itamaraty pelo Twitter.

“As embaixadas e repartições consulares do Brasil estão mobilizadas na assistência aos brasileiros que se encontrem no exterior e enfrentem dificuldades de regresso ao Brasil em função de restrições dos governos locais relacionadas ao coronavírus”, informou a pasta em outra publicação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Como revelou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, as companhias aéreas Gol e TAM entraram em acordo hoje com o governo para transportar os quase 4 mil turistas brasileiros que estão presos no Peru. O país vizinho fechou as fronteiras para conter o avanço do coronavírus. As tratativas têm sido acompanhadas pela Embaixada do Brasil em Lima.

Aos brasileiros que estão no exterior, o Itamaraty recomenda que sigam as orientações das autoridades de saúde locais, além das medidas de prevenção e controle para a infecção do novo coronavírus.

Send this to a friend