Derrotado, Trump já cogita novo decreto anti-imigração

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (10) que considera assinar um novo decreto depois que uma corte de apelação decidiu manter suspensa sua ordem executiva barrando cidadãos de sete países de maioria muçulmana.

Após a nova derrota sobre o tema na Justiça, a expectativa era que Trump levasse, o quanto antes, o caso à Suprema Corte. Na quinta, a Corte de Apelação do 9º Distrito, na Califórnia, anunciou a manutenção de uma liminar que permite a entrada de refugiados e de cidadãos de Síria, Líbia, Irã, Iraque, Iêmen, Somália e Sudão no país, desde que tenham vistos válidos.

A incerteza sobre a vitória nessa instância, porém, fez a Casa Branca frear o anúncio dessa decisão. Hoje, a mais alta corte do país tem quatro juízes de tendência conservadora e quatro mais liberais —e ele teria de convencer cinco deles de que a suspensão do decreto põe em risco a segurança nacional.

Há um assento vago, para o qual Trump já nomeou Neil Gorsuch, mas ele ainda precisa ser confirmado pelo Senado. Em caso de empate, permanece a decisão atual, de suspensão do decreto.

Nesta sexta, Trump não deixou claro se recorreria à Suprema Corte, mas disse que vai “ganhar essa batalha”. “A parte ruim é que isso toma tempo, mas nós vamos vencer essa batalha. Ainda temos muitas outras opções, incluindo uma ordem completamente nova.”

Ele acrescentou que a decisão deve ser anunciada na próxima “segunda ou terça”.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

cinco + seis =

Mais lidas

Send this to a friend