Siga o Jornal de Brasília

Internacional

Acuado e perdendo apoio até entre os republicanos, Trump se desculpa

Avatar

Publicado

em

Magnata republicano tenta contornar crise de campanha causada por vazamento de um vídeo em que faz declarações sexistas

Correio Braziliense

A quatro semanas das eleições, Donald Trump amarga seu pior momento na corrida presidencial, com perda de apoio dentro do próprio partido e uma sucessão de gafes, como o vídeo divulgado no fim da semana, no qual — mais uma vez — se refere às mulheres de forma grosseira e desrespeitosa. A repercussão negativa do diálogo do milionário com um apresentador de televisão, gravado em 2005, caiu como uma bomba na campanha e levou o candidato a se desculpar na manhã de ontem, numa atitude bastante rara em seu currículo. “Eu disse, errei e me desculpo”, assumiu, ontem, em uma gravação postada em suas redes sociais. Contudo, em resposta a correligionários que pediram para Trump renunciar à candidatura, ele foi firme: “A chance de que eu abandone é zero”.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O vídeo que agravou a já debilitada imagem do bilionário foi divulgado pelo jornal The Washington Post. São três minutos de gravação, nos quais ele se gaba de apalpar e tentar fazer sexo com mulheres, incluindo uma casada. “Quando você é famoso, elas deixam você fazer. Agarra ela pela b*. Você pode fazer qualquer coisa”, disse o republicano, no set do programa Days of our lives. O diálogo é seguido por uma sucessão de grosserias e palavrões. “Isso foi uma brincadeira de vestiário, uma conversa privada que aconteceu muitos anos atrás”, minimizou Trump, ao tentar contornar a situação. “Peço desculpas se alguém se ofendeu. Nunca disse que sou uma pessoa perfeita. Nem finjo ser alguém que não sou.”

Era só o que faltava, porém, para que opositores e correligionários insatisfeitos com a presença do empresário nas fileiras do partido voltassem a pedir sua cabeça. “Não posso continuar apoiando conscientemente essa pessoa para a Presidência”, disse o congressista republicano Jaseon Chaffetz, de Utah, à rede Fox. “Estou doente pelo que ouvi hoje”, escreveu, em um comunicado, o chefe da bancada republicana no Congresso, Paul Ryan. Até o vice de Trump, Mike Pence, censurou o cabeça de chapa: “Não concordo com essas declarações e não posso defendê-las”.

Em comunicado, a mulher de Trump, Melania, que estava casada com ele em 2005, disse que os comentários foram “inaceitáveis e ofensivos”, mas pediu que as desculpas do bilionário fossem aceitas. “Ele tem mente e coração de um líder”, afirmou.

Renúncia

Os congressistas republicanos Barbara Comstock e Mike Coffman, além do ex-governador de Utah Jon Hunstman chegaram a pedir que Trump abandonasse o pleito. “Respeitosamente, peço-lhe que se afaste”, concordou o senador por Utah Mike Lee. Já o senador de Illinois Mark Kirk disse no Twitter que Trump deve abandonar a disputa eleitoral e que o Partido Republicano precisa “empregar regras para uma substituição de emergência”.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Mesmo acuado pelos pares, o bilionário se manifestou em vários veículos de comunicação, repetindo que não deixará a corrida presidencial. “Nunca, jamais, me dou por vencido”, disse, ao The Wall Street Journal. “Eu nunca desiti de nada na vida”, repetiu, em entrevista ao The Washington Post. “Eu estou tendo um apoio tremendo. As pessoas estão me telefonando para dizer: ‘Nem pense em fazer nada, que não seja concorrer’”, garantiu.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *