Siga o Jornal de Brasília

Internacional

Brasileira morre em acidente de trem nos Estados Unidos

Avatar

Publicado

em

Mãe de brasileira morta após acidente luta para trazer corpo ao País.
Advogada se mudou para os EUA com o marido há cerca de um ano.

Do G1 Santos

A família da advogada brasileira Fabíola Bittar de Kroon, de 34 anos, programou uma viagem de emergência, nesta sexta-feira (30), para os Estados Unidos. A jovem, que é natural de Santos, no litoral de São Paulo, foi identificada pelas autoridades dos Estados Unidos como a única vítima fatal em um acidente de trem que ocorreu nesta quinta-feira (29) no Estado de Nova Jérsei.

Fabíola foi identificada no começo da tarde desta quinta-feira (29) no horário de Brasília. Identificado como Daan de Kroon, o marido dela, que é holandês, estava fora da cidade e a filha do casal se encontrava em uma creche. Ele já foi notificado da morte da mulher e foi exatamente ele que entrou em contato com a família da vítima, no Brasil, para comunicar a morte.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

De acordo com a mãe da vítima, Sueli Bittar, que atendeu o G1 por telefone, a ficha dos familiares ainda não caiu, já que tudo aconteceu muito rápido. Ela explica que, no momento, os familiares estão cuidando dos trâmites para trazer o corpo para o país. “Agora, neste momento, a nossa prioridade é trazer o corpo da nossa filha de volta para o Brasil. Estamos embarcando para os Estados Unidos para agilizar o processo. Estamos em estado de choque”, disse.

Fabíola Vittar de Kroon morreu após trem sofrer acidente nos Estados Unidos (Foto: Reprodução / Facebook)

Fabíola Vittar de Kroon morreu após trem sofrer acidente nos EUA (Foto: Reprodução / Facebook)

Amiga de Fabíola há vários anos e ainda abalada, a santista Roberta Lima afirma que o casal tinha planos para se mudar para uma casa maior. “A Fabíola estava procurando uma casa ou um apartamento que fosse maior por causa da filha pequena deles, a Julia. Ela tinha pedido demissão do emprego dela e estava na cidade há apenas cinco meses após o marido dela ter sido transferido”, afirma.

Em contato com o G1, o Itamaraty informou que busca informações sobre vítimas brasileiras do acidente. “Até o momento, o Itamaraty não foi comunicado nem pelas autoridades locais e nem procurado por eventuais familiares da suposta vítima do acidente. O consulado do Brasil em Nova Iorque, que tem jurisdição sobre Nova Jérsei, foi acionado para buscar mais informações junto às autoridades.”

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O acidente
Autoridades afirmam que a brasileira estava de pé na plataforma quando o trem número 1614 não conseguiu parar ao entrar na estação de Hoboken e se chocou contra a plataforma. O governador Chris Christie disse que o que se sabe é que o trem chegou à estação numa velocidade alta e que os investigadores trabalham para saber o motivo. De acordo com o portal NBC Nova York, informações preliminares apontam que a batida foi acidental ou causada por um erro do operador.

Fotos divulgadas em redes sociais mostram metal retorcido, vidros quebrados e muitos destroços. A circulação de trens foi suspensa devido ao acidente, segundo a NJ Transit. Os feridos foram levados em macas para ambulâncias enquanto mais de 100 membros de equipes de resgate isolaram a área da estação. Dezenas de barcos da polícia pararam no rio Hudson, que fica ao lado da estação.

Alguns passageiros ficaram presos em destroços, segundo testemunhas e autoridades citadas pela agência de notícias Reuters, mas foram retirados posteriormente.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *