Siga o Jornal de Brasília

Grande Brasília

Salas de aula no combate ao machismo

Publicado

em

Menina de 12 anos denuncia pai por abuso sexual, agressão e tráfico de drogas

A iniciativa da Associação das Mulheres de Sobradinho II, por meio de fomento da Secretaria da Mulher, traz a implementação de atividades em meio virtual e presencial, com o objetivo de combater a desigualdade de gênero, reduzir os índices de violência doméstica assédio e estupro e a objetificação da mulher.

“Com a pandemia, os índices da violência doméstica aumentaram ainda mais e esses problemas devem ser tratados nos setores de proteção, em suas organizações sociais, inclusive, no educacional, envolvendo toda comunidade escolar”, defende a associação.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O projeto que teve início no dia 17 de setembro, em Sobradinho, percorrerá mais 18 unidades educacionais até 2022, dentre elas as escolas da Região Norte do DF. “Nós escolhemos instituições da região Norte do DF em decorrência do aumento de violência contra mulheres nessas cidades durante a pandemia, por isso a necessidade de levar essa temática para as escolas de Sobradinho, Sobradinho II, Fercal e Planaltina.“, afirma a coordenadora do projeto, Ivonete Ribeiro. Segundo a coordenadora, o esperado é que as meninas possam ficar mais atentas a qualquer tipo de violência inclusive dentro de casa.

Serão contemplados com mais de 40 atividades todos os alunos a partir de 13 anos, da rede básica de ensino, Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos. As atividades contam com oficinas, aulas de teatro, música, palestras e debates e serão desenvolvidas nos períodos matutino, vespertino e noturno. E dentre os principais temas a serem explorados, estão a Violência Doméstica Contra Meninas e Mulheres; Machismo x Feminismo: Entenda as diferenças; e O machismo mata! Chega de feminicídio!

Leia também:  Outubro Rosa: prédios do Congresso recebem projeções

A cartilha distribuída aos alunos traz questionamentos como “O que é machismo”, “O que é violência contra as mulheres?”, “O que é feminicídio?”, “Por que a violência acontece?” e suas respectivas explicações, assim como apresenta também a Lei Maria Da Penha, e os tipos de violência que podem ser: física,psicológica, sexual, patrimonial e violência moral.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

A cada 15 segundos uma mulher é agredida no Brasil. De acordo com o Relatório de monitoramento dos feminicídios no Distrito Federal, da Secretaria de Estado e Segurança Pública, nos períodos entre Agosto de 2015 e Agosto de 2021,foram registrados 128 casos de feminicídios, dentre os quais 28,1% das vítimas possuíam de 18 a 29 anos, e 7.869 ocorrências de violência doméstica no primeiro semestre de 2021. De acordo com dados recentes da SSP-DF,entre janeiro e junho deste ano, das 33 regiões administrativas do DF, 14 registraram crescimento nos crimes cometidos contra as mulheres quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

Leia também:  Neoenergia inaugura novo centro no DF

Programação das atividades presenciais:

  • Escola 1: CEM 2 (Sobradinho)
    (5/10) às 14h, Oficina
    (26/10) às 19h30, Oficina
  • Escola 2: CEF 7 (Sobradinho II)
    (19/10) às 9h, Oficina
    (26/10) às 9h, Oficina
  • Escola 3: CEF Queima Lençol (Sobradinho)
    (28/09) às 14h, Oficina
    (7/10) às 14h, Oficina
    (18/11) às 9h, Teatro
  • Escola 4: EC 16 (Fercal)
    (30/09) às 19h30, Oficina
  • Escola 5: CEM 01 (Sobradinho II)
    (1º/10) às 9h, Oficina
  • Escola 6: EC 17 (Fercal)
    (23/10) às 19h30, Oficina
  • Escola 7: CED 03 (Sobradinho II)
    (5/10) às 9h, Oficina
  • Escola 8: CEF 03 (Fercal)
    (8/10) às 9, Oficina
    (14/10) às 9, Oficina
  • Escola 9: CEF 04 (Sobradinho)
    (14/10) às 19h30, Oficina
    (19/10) às 14h, Oficina
  • Escola 10: CEF 01 (Sobradinho II)
    (21/10) às 9, Oficina
  • Escola 11: CEF 09 (Planaltina/DF)
    (22/10) às 9, Oficina
    (26/10) às 14h, Oficina
  • Escola 12: CEF Carlos Mota (Planaltina/DF)
    (28/10) às 14h, Oficina
    (4/11) às 9, Oficina
  • Escola 13: CEF 08 (Sobradinho)
    (5/11) às 9, Oficina
    (9/11) às 9, Oficina
  • Escola 14: EC Engenho Velho (Sobradinho)
    (8/11) às 19h30, Oficina
  • Escola 15: CEDDAG (Sobradinho)
    (11/11) às 9, Oficina
  • Escola 16: CEF 05 (Sobradinho)
    (12/11) às 14h, Oficina
    (16/11) às 14h, Oficina
  • Escola 17: CED Pompilio (Sobradinho)
    (28/10) às 9, Oficina
    (4/11) às 9, Oficina
  • *Escola 18: a definir
Leia também:  TCDF vai apreciar contas de 2020 nesta terça (19)

Se você foi vítima de violência, procure ajuda!

  1. Ligue para os serviços de atendimento, ou procure uma delegacia de Polícia ou da mulher.
  2. Ligue 180 (Central de atendimento à mulher)
  3. Ligue 190 (Polícia)

Órgãos de proteção à mulher:

  • CREAS- Centro de referência especializada de assistência social.
  • CREAS- Centro de referência especializada de assistência social.
  • DEAM- Delegacia especializada de atendimento da mulher.
  • SECRETARIA DE SAÚDE- Hospitais (Serviço de atendimento às pessoas em situação de violência) PAV.
  • NUDEM- Núcleo de defesa da mulher Defensoria pública.
  • CASA ABRIGO- (para mulheres em risco de morte com boletim de ocorrência)

Continue lendo
Publicidade