Siga o Jornal de Brasília

Grande Brasília

GDF anuncia mais de R$ 27 milhões para reforçar a saúde pública

Em 2020, investimento do GDF serviu para criar e reformar estruturas da rede para enfrentamento à pandemia

Avatar

Publicado

em

Apesar da pandemia de Covid-19, que afetou diretamente todas as áreas do governo, o ano de 2020 é considerado muito produtivo para a saúde pública do Distrito Federal. Ao todo, a Secretaria de Saúde investiu R$ 27,3 milhões (mais precisamente, R$ 27.373.352,31) na adaptação dos hospitais de campanha do Estádio Nacional Mané Garrincha, do Centro Médico da Polícia Militar e do Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Durante todo o ano o governo concentrou esforços para ampliar a oferta de leitos de internação e de espaços voltados somente para esse tipo de tratamento. Além disso, foram construídos dois hospitais de campanha: o de Ceilândia, com capacidade para 20 leitos de suporte avançado e 40 de enfermaria, e o da Papuda, com dez leitos de suporte avançado e 30 de enfermaria.

“Conseguimos construir dois hospitais de campanha e adaptar três espaços para atender à necessidade dos pacientes com Covid-19. Fizemos muita coisa, foi um ano de muito trabalho”, avalia o subsecretário substituto de Infraestrutura, Alan Oliveira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os investimentos foram além da pandemia. Ao todo, a Secretaria de Saúde investiu R$ 45,6 milhões (mais precisamente, R$ 45.629.930,56) em manutenção predial de várias unidades da rede, como os hospitais regionais e os prédios que fazem parte da pasta.

UBS de Samambaia é um dos exemplos de reforço na estrutura de saúde pública do DF | Foto: Breno Esaki / Agência Brasília

Também houve grande investimento na manutenção de ares-condicionados e de elevadores, bem como na prestação de serviços de manutenção predial, preventiva e corretiva – por exemplo, reposição de peças em equipamentos condicionadores de energia elétrica do tipo motor gerador, nobreak, estabilizador, transformador e quadro elétrico, em aporte de recursos que totalizou R$ 9,5 milhões (mais precisamente, R$ 9.597.595,74).

Leia também:  Mais R$ 115 milhões em obras viárias

“Conseguimos fazer tudo que estava previsto. Além dos gastos com aquisições de equipamentos, investimos em manutenções prediais, de elevadores e ar-condicionado, além de inaugurar duas unidades básicas de saúde (UBS) e iniciar a construção de seis”, destaca o subsecretário.

Atenção Primária

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 2020, houve investimento em infraestrutura na Atenção Primária, que engloba as UBSs. O valor foi de R$ 27,2 milhões (R$ 27.244.400,34, mais precisamente), aplicados na construção de oito novas UBSs, das quais duas delas, a UBS 11 de Samambaia e a UBS 5 do Recanto das Emas, já foram concluídas e inauguradas. Ainda de acordo com o subsecretário substituto, para 2021 está prevista a licitação de 16 novas UBSs.

A reforma da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin) Canguru, do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), está com 80% das obras executadas e custou R$ 770 mil aos cofres públicos.

Leia também:  Hospital de Base tem plano de vacinação aprovado

A Subsecretaria de Infraestrutura da Secretaria de Saúde também é responsável pela aquisição de diversos equipamentos. Entre eles, foram adquiridos em 2.020 aparelhos de dosimetria para levantamentos radiométricos, além de equipamentos de fluoroscopia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas