Novo decreto deixa empresários preocupados

Após decisão do TJDFT, governador do DF publica decreto que suspende a estratégia de flexibilização que tinha sido adotada

A Federação do Comércio do DF (Fecomércio-DF) avalia que a decisão da Justiça em suspender a flexibilização em Brasília, vai agravar ainda mais a crise, além de gerar insegurança e prejuízos e ampliar o desemprego.

O presidente da entidade, Francisco Maia, acredita que o GDF está agindo com a devida cautela para que as categorias comerciais possam abrir com responsabilidade. “As empresas estão quebrando e o desemprego está muito grande. Se não abrir, esses números vão piorar. Acredito que precisa haver um acordo entre a Justiça e o Executivo para resolver essa questão”, afirmou Maia. O presidente garantiu que “todos os trabalhadores de bares e restaurantes e salões de beleza serão testados pelo Sesc e receberão máscaras. Apesar da promessa da Fecomércio, comerciantes do DF já denunciaram em reportagem do Jornal de Brasília que não têm conseguido realizar testes em seus funcionários através no Sesc-DF.

O Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes (Sindhobar) do DF diz que a decisão da Justiça é irresponsável. “É uma falta de consideração. Os empresários não tem mais para onde correr. A justiça já deu decisões anteriores a favor da abertura. O governo já ganhou em duas instâncias e até o Supremo já se manifestou a respeito da prerrogativa do governador de tomar decisões sobre abertura e fechamento dos segmentos comerciais”, disse o presidente do sindicato, Jael Antonio da Silva.

“O empresário não sabe mais o que fazer. Precisamos abrir imediatamente, não tem outra solução para nós”.

Dados mais claros

O DF terá que disponibilizar os dados dos leitos de UTI destinados ao tratamento da covid-19 de forma mais clara e transparente. A decisão da desembargadora da 3ª Turma Cível do TJDFT manteve determinação da última terça-feira (7) que negou o pedido feito pelo DF para suspender a liminar proferida pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública do DF.

De acordo com a justiça, o GDF deve utilizar a partir de agora apenas os relatórios diários elaborados pela Central de Regulação de Internação Hospitalar (CERIH/DIRAH/CRDF) como fonte para os dados publicados na Sala de Situação

Send this to a friend