Referência no enfrentamento à Covid-19, HRAN comemora 17 partos realizados

Recém-nascidos e família recebem cuidados especiais para evitar a contaminação pelo coronavírus

O Hospital Regional da Asa Norte (Hran) têm feito o possível para evitar o contágio da Covid-19 nos recém-nascidos de mães positivas para o vírus. Referência para partos de gestantes com suspeitas de contaminação, a unidade hospitalar já realizou 17 destes partos. Somente seis foram confirmadas para o coronavírus.

Em maio, ocorreram dez partos, dos quais os seis confirmados com a Covid-19. No último mês, duas pacientes encaminhadas dos hospitais regionais de Planaltina e do Gama após o nascimento, testaram negativo para a doença.

Caso real

A dona de casa Antônia Martins, de 31 anos, moradora de Planaltina de Goiás (GO) deu à luz no último sábado (30), no Hran, e foi confirmada para a Covid-19. Além dela, o esposo, Hélio Lourenço e, os dois filhos, de 6 e 9 anos, estão com a doença. Apesar da situação, toda a família está assintomática.

“Como tivemos contato com alguns parentes contaminados, inclusive, houve uma morte na família por causa do coronavírus, a equipe da Vigilância Epidemiológica ficou nos acompanhando e me deu um encaminhamento para ir para o Hran quando entrasse em trabalho de parto”, relatou.

De acordo com Antônia, ela e a família realizaram um teste rápido antes do nascimento da pequena Maria Eduarda e ao comprovarem a doença, ficaram isolados dentro de casa.

“No hospital tiveram todos os cuidados e na minha alta, recebi a orientação para só pegar na neném quando for inevitável, como dar de mamar, trocar fraldas e dar banho. Sempre usando máscaras e com as mãos higienizadas. Infelizmente, a troca de carinho e afagos vai ter que esperar, pois todos nós estamos com a Covid-19”, lamentou.

Antônia informou que também foi orientada a fazer mais 14 dias de isolamento domiciliar com a família. O esposo, que é motorista, também está em casa junto com a família.

Orientações

Os cuidados com os recém-nascidos no Hran, filhos de mães com suspeita ou com infecção confirmada por Covid-19 são os mesmos recomendados pelo Ministério da Saúde via portarias publicadas desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Segundo a Referência Técnica Assistencial da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin) do Hran, Telma Nascimento, existe todo o cuidado com o recém-nascido, desde a hora do parto até a alta.

“No nascimento o recém-nascido é recebido por um pediatra devidamente paramentado. A ligadura do cordão umbilical é realizada no momento oportuno, bem como os cuidados da assistência ao recém-nascido em sala de parto. Caso o bebê não necessite de cuidados intensivos, ele permanece em quarto privativo de alojamento conjunto com medidas de isolamento de contato e respiratório”, explica.

Foto: SES-DF

Além disso, são fornecidas as seguintes orientações à mãe: uso permanente de máscara; higienização de mãos (limpeza com água e sabão ou uso de álcool em gel 70%) antes e após o contato com o recém-nascido e manter o berço a dois metros de distância da cama da mãe.

“Caso seja necessário acompanhante durante a internação, ele deve ser único, sem trocas. Não pode pertencer ao grupo de risco e deve estar assintomático. O uso de máscara e a higienização de mãos antes e após contato com o recém-nascido também se faz necessário”, esclarece Telma.

Na alta hospitalar, as pacientes recebem a orientação de fazer isolamento por 14 dias e entrar em contato com a Unidade Básica de Saúde mais próxima para receber visita domiciliar.

Send this to a friend