Liminar é derrubada e setor de atividades não essenciais devem voltar dia 1º de julho

Com a decisão, bares, restaurantes e academias, devem reabrir. A expectativa agora é que o GDF confirme nos próximos dias a informação dada pelo presidente da Abrasel-DF

A decisão liminar que impedia que o Governo do Distrito Federal (GDF) promovesse a reabertura de atividades não essenciais foi suspensa pelo desembargador federal Ítalo Fioravanti Sabo Mendes. “Volto a governar” disse o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, sobre a decisão.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do DF (Abrasel-DF), Beto Pinheiro, comemorou a decisão e revelou que a reabertura dos bares deverá acontecer no primeiro dia do mês que vem .

“A gente recebe essa decisão com bastante alegria. Desde domingo eu já estava otimista, pois é uma questão de autonomia dos poderes. Agora, segue o cronograma que estava combinado com o executivo. No dia 15 de junho, tivemos uma reunião com Ibaneis onde ficou decidido que abriríamos no dia 25 ou 1º de julho”, afirmou Beto.

A retomada do setor havia sido suspensa no último sábado (20), pela juíza federal titular da 3ª Vara Federal Cível do DF, Kátia Balbino de Carvalho Ferreira. A decisão revoltou o setor produtivo, que divulgou carta de repúdio e chegou a promover protesto em frente ao Buriti.

Na sentença da noite desta quarta-feira (24), o desembargador destacou:

“A condução do enfrentamento da pandemia da Covid-19 e a decisão do momento para a retomada das atividades econômicas no Distrito Federal, com a observância dos protocolos sanitários e com os subsídios fornecidos por seus órgãos técnicos, encontram-se, data venia, na esfera de competência do representante do Poder Executivo, não podendo ser alterada, ao menos no atual momento processual, em seu mérito administrativo, pelo Poder Judiciário.”

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

quatro + dois =

Send this to a friend