Hospital facilitará retorno do comércio

Construção será feita em parceria com Sesc e Fecomércio. Com 400 leitos, auxiliará tratamento da covid-19 e é considerado essencial para autorização de retomada das atividades

A construção de um hospital de campanha com 400 leitos para auxiliar no tratamento dos pacientes da covid-19 deverá ser afinal anunciado amanhã. O hospital é uma condição essencial para que o Distrito Federal possa ter autorização para determinar a reabertura do comércio e de outras atividades econômicas.

Nas negociações que vêm sendo feitas na Justiça, a instalação do hospital, que será feito em parceria entre o Serviço Social do Comércio do Distrito Federal (SescDF), o Serviço Nacional do Sesc e a Federaçãodo Comércio (Fecomercio-DF), com recursos da Confederação Nacional do Comércio, é considerada etapa importante.

O presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, disse que o local onde será construído o hospital será anunciado amanhã. O hospital do Sesc, que atenderá pacientes com covid-19, tem a previsão de oferecer 400 leitos. A unidade foi prometida ao governo local pela Fecomércio no dia 7 de maio, como forma de viabilizar a retomada das atividades econômicas na cidade. Os estudos para dar início à obra estão em fase final. O DF é a 6ª unidade da federação que mais arrecada contribuições para o sistema CNC.

Demissões

A retomada das atividades é considerada importante pelo setor para evitar que haja um grande número de demissões. Com o comércio fechado, a previsão da Fecomércio é de que aconteçam 20 mil demissões no setor de comércio e serviços nos próximos dias. Com relação à arrecadação, a perda já é sentida.

O Governo do Distrito Federal estima que a frustração de receita com o Imposto de Circulação de Mercadoria (ICMS) e Imposto Sobre Serviços (ISS) este ano, devido à pandemia do coronavírus, será de R$ 1,39 bilhão. A estimativa inicial da Lei Orçamentária Anual de 2020, aprovada pela Câmara Legislativa (CLDF), era de que a cidade deveria arrecadar R$ 8,7 bilhões de ICMS e R$ 2 bilhões de ISS. Numa reestimativa realizada no início de abril, os técnicos da secretaria da Economia esperam que a arrecadação dos dois impostos seja de R$ 7,6 bilhões e de R$ 1,8 bilhão, respectivamente.

O comércio do DF teve as portas fechadas no dia 19 março. Desde então muitas micro e pequenas empresas já quebraram e não reabrirão quando for autorizado. De acordo com a Secretaria de Economia do DF, os setores de comércio e serviços perdem em média R$ 2,2 bilhões por mês de faturamento.

Send this to a friend