Determinação altera uso de máscaras no HRC e funcionários reclamam

Profissionais que preferiram não se identificar consideraram a decisão inadequada do ponto de vista da segurança, já que todos circulam no mesmo ambiente

Comunicado recebido pelos profissionais de saúde do Hospital Regional da Ceilândia (HRC), no dia 12 de maio, determinou que todos funcionários da área administrativa da unidade deveriam utilizar máscaras de duas camadas, cujo código de registro do insumo na secretaria de Saúde é 32743, – um tipo inferior – deixando as cirúrgicas para o pessoal da assistência.

Profissionais da unidade que preferiram não se identificar consideraram a decisão inadequada do ponto de vista da segurança, já que todos circulam no mesmo ambiente. “O grupo de servidores interage, então a chance de contágio é grande para todos”, disse um servidor. A mesma recomendação de usar máscara dupla camada consta da Nota Técnica 04, de 2020, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com o Instituto de Física da Universidade Federal de Uberlândia, a máscara de duas camadas é de baixa eficiência.

Os servidores da saúde da Ceilândia, sete mil ao todo, divididos entre um Centro de Atenção Psicossocial (Caps), o HRC e 18 unidades básicas de saúde (UBS) e seus colegas de Taguatinga cobram a realização de testes quinzenais de coronavírus, em cumprimento ao parágrafo 2°, do artigo 97, da Lei Distrital 5.321, que determina a testagem quinzenal dos servidores. De acordo com uma profissional que preferiu não se identificar, na UBS 3 de Taguatinga apenas um teste foi realizado até agora, no dia 28 de abril, nos mais de 60 profissionais. “Nós não queremos aplausos e nem sermos chamados de heróis, queremos condições ideais de trabalho, bons equipamentos de proteção e a testagem que nos dê segurança”, disse.

A falta de testes quinzenais nos profissionais tem causados problemas emocionais nos servidores. “Os profissionais estão desesperados, muitos tomando medicação controlada para suportar a pressão”, disse a servidora.

Depois de dez profissionais de saúde do HRC terem contraído o coronavírus , a UTI da unidade precisou passar por uma desinfecção. A Ceilândia está em terceiro lugar em número de pessoas infectadas pela covid-19. Somente na segunda-feira, na testagem rápida realizada naquela região administrativa, dos 438 testes feitos, 36 deram positivo para covid-19. A Ceilândia tem 8,4% dos casos de coronavírus no DF, abaixo apenas da população privada de liberdade, que é de 13,3% e o Plano Piloto com 11,6%.

DF Legal

Para garantir a manutenção do distanciamento social em toda a cidade, o DF Legal realiza por meio de suas equipes ações diárias de fiscalização. O órgão, com apoio da PMDF, tem realizado fechamentos e interdições de comércios que não tem o funcionamento autorizado desde o fim de março, quando teve início o distanciamento social na capital. Até o momento, cerca de 23 mil foram fechados compulsoriamente, 970 interditados e cerca de 30 multados.

Send this to a friend