Siga o Jornal de Brasília

Grande Brasília

Startup do DF doa acessório para equipamento de segurança de profissionais de Saúde

Invenção pode ser produzida em impressoras 3D. Já está em uso e tem sido elogiada por profissionais de Saúde de vários países. Empresa está situada a poucos metros do Ministério da Saúde

Avatar

Publicado

em

A startup Tríon Centro de Planejamento 3D, fundada em 2018 em Brasília (DF), desenvolveu o projeto de um acessório que aumenta significativamente o conforto dos profissionais de saúde que usam óculos e máscaras protetivas no tratamento de doentes, como os acometidos pelo novo coronavírus (Covid-19). O ClipShield é uma peça pequena encaixada ao óculos de proteção (foto em destaque) e garante conforto ao usuário evitando os incômodos gerados pelo uso prolongado – como dor de cabeça, queixa frequente dos profissionais.

O projeto técnico do clip está sendo doado pela Tríon para qualquer pessoa. O ClipShield pode ser produzido em impressoras 3D que usam resina como matéria-prima, o que facilita sua disseminação. Basta fazer o download – o arquivo está disponível no formato STL. As matérias-primas para produzir o ClipShield devem ser as resinas convencionais ou as biocompatíveis (aceitam a autoclavagem).

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Além de hospitais e profissionais de saúde de Brasília, estabelecimentos e profissionais de outras localidades do Brasil e de vários países (Argentina, Romênia, Portugal, Espanha, EUA, México, República Dominicana etc.) já baixaram o arquivo, imprimiram o acessório e já estão usando-o no dia a dia no combate ao vírus.

Até mesmo o profissional de saúde que não atua na luta direta contra o Covid-19, mas pode ficar exposto à transmissão, compreendeu a importância do ClipShield, como o Dr. Vitor Ramagem, cirurgião-dentista do Distrito Federal

 

A iniciativa da Tríon em prol dos profissionais do saúde, em especial, dos que estão na linha de frente contra o Covid-19, segundo ele, “é gratificante. (…) Entre várias alternativas de auxílio, a impressão 3D de máscaras faciais de proteção surge como uma alternativa inovadora devido à facilidade de compartilhamento dos arquivos pelas redes sociais e à descentralização da produção, levando ajuda efetiva para diversos locais. Além disso, o processo de produção do Clipshield promove uma união entre os profissionais de saúde para sua própria proteção, evitando o contágio desses que estão na linha de frente do combate ao Covid-19. Com essas pequenas ações, poderemos mitigar os efeitos dessa pandemia na sociedade”, afirma.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  A tatuagem como caminho para a ressocialização

Os profissionais de saúde ocupam as mais altas posições em gráficos de vulnerabilidade ao contágio do coronavírus. Ajudar esses colegas significa aumentar o efetivo de tratamento, e, com o cenário de sobrecarga dos sistemas de saúde pelo mundo, a proteção dos que estão nessa posição é imprescindível para minimizar os efeitos catastróficos da pandemia.

A Trion é uma startup de tecnologia aplicada à área de saúde, com especialização na área de odontologia digital.

“Estamos criando uma comunidade de profissionais proprietários de impressoras 3D no intuito de colaborar com a troca de ideias e de experiências, melhores práticas e utilização das impressoras 3D para disseminar ainda mais o ClipShield gratuitamente, de modo a apoiar os profissionais de saúde que realizam um trabalho importantíssimo para todas as pessoas”, diz Henrique Tostes, Engenheiro de Produção pós-graduado em Bioengenharia, especialista em CAD/CAM aplicado à área de saúde e sócio da Tríon. Até a primeira semana de abril, cerca de 200 downloads foram realizados. “Cada um que baixou o arquivo pode replicar para outros contatos criando uma rede de solidariedade e mantê-la em constante crescimento”, diz.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  A tatuagem como caminho para a ressocialização

Além de doar o projeto pela internet, os sócios da Tríon iniciaram uma campanha na web para receber doações em dinheiro (‘vaquinha virtual’) e, assim, comprar resinas e outros materiais (como folhas PETG/acetato) para fabricarem algumas unidades em sua sede, situada há poucos metros do Ministério da Saúde, na Esplanada dos Ministérios. Os clips ali produzidos serão doados para estabelecimentos e profissionais de saúde do Distrito Federal. Para participar da campanha de doação, acesse o link da Vakinha.

A invenção foi desenvolvida em apenas quatro dias, em meio à propagação da pandemia, no final de março, por Henrique Tostes. Segundo ele, a ideia do clip surgiu porque sua esposa, dentista de um hospital de Brasília, foi designada para participar da equipe de triagem de pacientes. Temendo a falta de EPI’s (Equipamento de Proteção Individual) neste momento crítico da pandemia, Tostes resolveu desenvolver e projetar um Face Shield (protetor facial) que fosse prático, de fácil manutenção e o mais confortável possível. O estudo, desenvolvimento, prototipagem e validação da solução durou quatro dias.

Leia também:  A tatuagem como caminho para a ressocialização

“Nossa intenção é contribuir para o esforço internacional de combate ao Covid-19, razão pela qual decidimos disponibilizar os arquivos do clip na internet de forma gratuita”, diz ele.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

A Tríon reforça que o produto não foi doado para ser comercializado por terceiros. “Esperamos que as pessoas entrem em contato, caso alguém tente fazê-lo”, afirma.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *