CBMDF simula teste de equipamentos de detecção do coronavírus

Cem bombeiros devem ser mobilizados nos próximos dias para usar os equipamentos quando o trabalho começar de fato

Na tarde de segunda-feira (16), o Corpo de Bombeiros (CBMDF) realizou uma simulação para testar equipamentos de detecção do coronavírus no ambiente. O teste foi feito no Aeroporto de Brasília.

Vestidos com macacões brancos, óculos de proteção, capacetes, luvas e máscaras, os militares transitaram pelo desembarque de passageiros internacionais. A expectativa é que cerca de 100 bombeiros sejam mobilizados quando os trabalhos começarem de fato, o que deve ocorrer nos próximos dias. 

O trabalho é fruto de uma parceria entre a concessionária Inframérica, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Receita Federal e a Polícia Civil. Consiste em uma simulação que passa a testar, nos próximos dias, equipamentos de última geração capazes de detectar se em um ambiente há pessoas contaminadas com a Covid 19.

“A medida vai nos ajudar a saber quanto tempo vamos gastar na abordagem dos passageiros, evitando que os transtornos sejam maiores”, explicou o tenente-coronel Giancarlo Borges Pedroso, responsável pela operação.

Medidas preventivas

Num primeiro momento, será realizada uma triagem dos passageiros de todos os voos internacionais, no embarque e no desembarque, na tentativa de identificar, por meio das câmeras térmicas, alguém com febre. Detectada, essa pessoa será encaminhada imediatamente a um posto médico do aeroporto, onde terá material biológico coletado. Caso confirmada a contaminação por Covid 19, o passageiro será encaminhado para atendimento na rede hospitalar.

Ao todo são 20 câmeras térmicas que vão medir a temperatura dos passageiros, além de três aparelhos Coliolis – que captam o ar e o transformam em amostras para análise o ambiente –, assim como outros dois equipamentos, os chamados Veredos, destinados a confirmar a presença do coronavírus por meio de um chip. Esses três aparelhos serão usados pelo Grupamento de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros do DF nos voos internacionais, enquanto nos voos domésticos somente entrarão em operação as câmeras térmicas.

“São medidas preventivas no sentido de conter a proliferação do vírus, tentando minimizar que ele se propague”, salientou Pedroso. “As ações do governo para diminuir a circulação das pessoas nas vias, e aqui [no aeroporto], da mesma forma, vamos tentar identificar precocemente esse paciente, isolá-lo e conduzi-lo ao tratamento, diminuindo assim a quantidade de casos.”

Com informações da Agência Brasília


Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

cinco × cinco =

Send this to a friend