Primeiro Dia D de combate à dengue mobiliza cinco regiões

A possibilidade de uma epidemia de dengue, além da transmissão de febre amarela, zika e chicungunha, fez com que o GDF pedisse um reforço de 500 bombeiros

Uma grande mobilização de combate ao Aedes Aegypti movimentou cinco Regiões Administrativas na manhã deste sábado (25). A preocupação com a possibilidade de uma epidemia de dengue, além da transmissão de febre amarela, zika e chicungunha, fez com que o Governo do Distrito Federal pedisse um reforço de 500 militares do Corpo de Bombeiros para realizar as visitas às casas, junto das equipes da Vigilância à Saúde.

Realizado pela Secretaria de Saúde e a Sala Distrital, as visitas do Dia D de combate à dengue foram feitas no Guará, São Sebastião, Sobradinho, Fercal e Planaltina. O objetivo é orientar a população sobre as doenças transmitidas pelo inseto e como prevenir o seu aparecimento.

Na casa de Dorival Salomão de Oliveira, no Guará, os bombeiros não encontraram nenhum criadouro do mosquito. Atento aos cuidados, Dorival relata que já foi vítima da dengue no ano passado e agora toma todos as medidas de prevenção para evitar novo contágio.

“Nós mantemos as caixas d’água fechadas, os vasos de plantas sem água nos pratinhos, garrafas viradas de boca para baixo”, elenca o dono da residência.

Mesmo sabendo e cumprindo com os cuidados básicos, Dorival ressalta a importância das visitas periódicas.

 

“Eu acho muito importante a participação deles (bombeiros), porque se tem uma falha eles podem nos orientar como agir para evitar que tenha algum problema”, destaca.

A chuva e o mau tempo não impediram que os agentes fossem às ruas, dando início a uma grande força-tarefa que deve se repetir nos próximos finais de semana. Além de orientar sobre como evitar os criadouros de mosquitos, identificar e eliminar os focos, a população os agentes também tinham a missão de esclarecer onde buscar atendimento na rede pública de saúde do DF.

“Os hospitais já estão preparados com salas de hidratação. Nós temos as Unidades Básicas de Saúde com horário estendido atendendo até às 22 horas, também com salas de hidratação que a população pode procurar assim que identificar os primeiros sintomas”, destacou o secretário adjunto de Assistência em Saúde, Ricardo Tavares.

Situação de emergência

Para fortalecer as ações de combate ao Aedes aegypti, o governador Ibaneis Rocha assinou, na última sexta-feira, o decreto de situação de emergência devido ao risco de epidemia de dengue e outras arboviroses.

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Divino Valero, afirma que o decreto torna possível e mais ágil as parcerias com outras áreas na realização das ações preventivas, contratações de agentes, aquisição de insumos e materiais, entre outros.

“As ações são continuadas ao longo do tempo, todos os dias e com o decreto serão intensificadas”, declarou Valero, que fez um importante alerta: “mais de 90% dos mosquitos estão dentro das casas das pessoas. Então nós precisamos da participação da população”

Valero aponta que os dois principais motivos que levaram a escolha dessas cinco regiões administrativas para esta primeira ação foram “o aparecimento dos primeiros casos suspeitos de dengue no ano nestas cidades e o índice de infestação predial crescente, o que é preocupante”, destaca.

Casos

A Secretaria de Saúde registrou 47.393 casos prováveis de dengue entre dezembro 2018 e dezembro de 2019. Desse total, 44.311 são de residentes no Distrito Federal e 3.082 em outros estados.

Sintomas

Os principais sintomas típicos da dengue são febre alta, náusea, vômito, manchas avermelhadas pelo corpo, dor de cabeça, dor no corpo, dor em volta dos olhos e sinal de sangramento. Diante desses sintomas, o paciente deve buscar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde mais próxima.

Com informações da Agência Brasília

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

15 + treze =

Send this to a friend