GDF vai construir unidades de atendimento a vítimas de violência doméstica

Enquanto isso, Casa da Mulher Brasileira será reformada e reaberta em março de 2021

O Governo do Distrito Federal (GDF), em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, vai construir quatro centros de apoio a mulheres vítimas de violência doméstica no DF. Com estrutura policial, médica, jurídica, psicológica e educacional, as unidades dão suporte ao atendimento interrompido em 2018 na Casa da Mulher Brasileira – projeto idealizado pelo governo federal.

As quatro unidades serão abertas no Sol Nascente, em São Sebastião, no Itapoã e em Sobradinho II e terão como origem verbas de cerca de R$ 5 milhões de emendas parlamentares. A Secretaria de Estado da Mulher estuda, junto à Terracap, a escolha dos terrenos para atendimento. A iniciativa vai ao encontro das políticas públicas do GDF de descentralizar o atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Em audiência com o governador Ibaneis Rocha nesta terça-feira (12), no Palácio do Buriti, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, anunciou a reforma da Casa da Mulher Brasileira. O espaço, inaugurado em 2015 na 601 Norte e fechado por falhas na estrutura, será todo reformado com recursos do Banco do Brasil – e deverá ser entregue em março de 2021.

A previsão é de que toda a estrutura que se mantinha inativa no espaço seja transferida para um andar do prédio onde a Secretaria de Segurança Pública planeja a instalação de uma nova unidade da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), em Ceilândia.

Provisório

Atualmente, parte do atendimento interrompido pela Casa da Mulher Brasileira é feito em um espaço improvisado Deam da 204/205 Sul. A ideia é que tudo seja transferido para Ceilândia o mais breve possível. Terminadas as obras da Casa da Mulher Brasileira, a unidade servirá de suporte no Plano Piloto às outras quatro espalhadas pelo DF. “Será um centro de referência para o Brasil”, espera a secretária da Mulher no DF, Éricka Filippelli.

Recursos da União, de aproximadamente R$ 13 milhões, serão investidos na manutenção desses espaços. De acordo com a ministra Damares, é hora de mudar a realidade da mulher no DF. “O objetivo do governador Ibaneis é erradicar a violência contra a mulher no Distrito Federal e, nesse sentido, o ministério vem junto.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 
Tags

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

4 × três =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend