Traficante que vendia ‘maconha gourmet’ por aplicativo é preso em Brasília

Droga apreendida foi avaliada em R$ 150 mil. 'Traficante ostentava vida de luxo', diz polícia.

Um traficante que vendia “maconha gourmet” por meio de aplicativos, em Brasília, foi preso após uma investigação da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord) do Distrito Federal.

De acordo com o Diretor da Divisão de Repressão às Drogas responsável pelo caso, o delegado Erisson Abdala, a maconha era vendida para usuários de alto poder aquisitivo “em razão do custo elevado e do altíssimo teor de THC” – um dos princípios ativos da Cannabis.

Ainda conforme a investigação, o traficante levava uma vida de luxo e “ostentava o lucro obtido com a atividade ilícita com garotas de programa em hotéis do Distrito Federal”. O homem foi preso em um quarto de hotel, na companhia de uma garota de programa.

Os policiais encontraram cerca de um quilo de maconha e 42 gramas de haxixe. Segundo o coordenador da Cord, delegado Rogério Henrique, a droga foi avaliada em R$ 150 mil e é do tipo chamado pelos usuários de “Skunk Pipoca” ou “Camarão”.

Uma balança de precisão, rolo de papel filme e embalagens plásticas para acondicionar drogas também foram apreendidas. O homem foi autuado, em flagrante, por tráfico de drogas.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

18 − 7 =

Send this to a friend