Investimento em redes de água beneficiará dez cidades do DF

Sistema de setorização e adequação utilizado pela Caesb reduz danos ambientais e diminui incômodos para moradores. Parte dos recursos veio do BID

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) lançou nesta terça (17) duas licitações para execução de obras de setorização, adequação e substituição de redes de água em Águas Claras, Riacho Fundo, Lago Sul, Guará, Vicente Pires, Núcleo Bandeirante e Metropolitana. 

A tubulação das redes de distribuição de água será substituída por outra mais moderna e um novo sistema de controle de fornecimento será implementado. Tais obras somam investimentos R$ 13,6 milhões, provenientes do programa de Saneamento Ambiental do Banco Interamericano de Desenvolvimento(BID): R$ 9,3 milhões para a região de Águas Claras, Riacho Fundo e Lago Sul; R$ 4,3 mil para as regiões de Guará, Vicente Pires, Núcleo Bandeirante e Metropolitana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Na substituição das redes de abastecimento de água, será utilizado um processo não-destrutivo de implantação das tubulações, poupando uma grande parcela das calçadas e da pavimentação já existentes. Isso provoca menor avaria à infraestrutura da região e reduz também os danos socioambientais. 

Essas redes estão localizadas na área frontal das casas, na calçada ou rua, onde se conectam os ramais que abastecem cada imóvel. As antigas tubulações serão trocadas por outras em polietileno, mais duráveis e resistentes, reduzindo o aspecto ferruginoso da água proveniente de tubulações antigas.

Também está prevista a setorização das redes de distribuição de água, transformando uma rede maior em redes menores, ao criar os Distritos de Medição e Controle (DMC). Dessa forma, pode-se fazer o monitoramento e controle individual de cada parte da rede, evitando, por exemplo, que seja necessário suspender o fornecimento de uma grande área de uma cidade para realizar o reparo em um pequeno trecho.

Redes em distritos 
A estruturação das redes em distritos irá possibilitar o monitoramento sistemático dos novos setores (volume distribuído e pressões na rede), agilizando as intervenções e deixando-as mais eficazes, proporcionando a redução das perdas físicas de água.

 O projeto de setorização prevê também a instalação de trechos de rede de água, macromedidores e válvulas redutoras de pressão. Esses equipamentos permitirão o controle à distância da operação do sistema, adequando a pressão na rede e identificando online possíveis vazamentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Essa operação automatizada permitirá a redução de perdas na rede de água. Haverá ainda a diminuição da pressão da água nas redes, reduzindo a ocorrência de rompimentos e a intensidade dos vazamentos.

Sem manutenção constante
As obras de setorização, adequação e substituição das redes de abastecimento de água integram um projeto da Caesb para redução das perdas de água tratada, que hoje chegam a 34%, e irão minimizar a necessidade de serviços de manutenção constante.

R$ 47,6 milhõestotal do investimento que sendo feito em Taguatinga, Ceilândia e São Sebastião com recursos do BID

Em outras três cidades, Taguatinga, São Sebastião e Ceilândia, equipes da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) já iniciaram as obras nas últimas semanas.

Para a escolha dessas regiões, foram considerados o aumento no volume de água tratada e não contabilizada, além de perdas financeiras causadas para a Companhia, em função de ocupações irregulares e de expansões urbanas aceleradas.

Ao final das obras nas três cidades, terão sido criados 50 Distritos de Medição e Controle (DMC), abrangendo 79,20km², e construídos 369 mil metros em novas redes de distribuição de água. O investimento global de R$ 47,6 milhões conta com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).


Taguatinga

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



As obras já começaram por lá. O sistema será implantado em parte da cidade, beneficiando 160 mil pessoas. O investimento será de R$ 16,6 mil, com recursos provenientes do BID. A previsão de conclusão das obras é para o primeiro semestre de 2020. A substituição de rede envolverá 8.635 imóveis das áreas que representam maior incidência de vazamento, em especial nas quadras QNH, QI, QNF, QNG 34-46, QND, QNE e QNG 1-33. A obra contempla 12 setores de medição e controle, além da construção de 19,3km de redes de distribuição de água para setorização, variando entre os diâmetros de 60mm e 500mm. Também prevê a substituição de 78,4km de rede. A extensão global da obra prevista é de 139.649,72m.


 Ceilândia


Em Ceilândia, as obras de setorização e de substituição das redes de distribuição de água terão a maior extensão: 182.583,69m (substituição) e 38.990,06m (setorização), com conclusão prevista para o segundo semestre do ano que vem. Serão criados 25 Distritos de Medição e Controle (DMC), para atender 13.120 novas ligações prediais. O investimento do BID é de R$ 21,8 milhões.


São Sebastião

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



As obras em São Sebastião têm conclusão prevista para o primeiro semestre do ano que vem, com uma extensão global de 47.268,32m, sendo 17.618,40m (setorização) e 29.649,92m (substituição de redes). O investimento realizado pelo BID é de R$ 9 milhões, para atender 2.418 novas ligações prediais. Serão criados 13 Distritos de medição e Controle (DMC).

Com informações da Agência Brasília

Tags
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend