Governo economiza R$ 250 milhões com recadastramento previdenciário

O recadastramento previdenciário dos servidores do Distrito Federal foi iniciado em 2019, com a realização da prova de vida

O Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev) já retirou da folha de pagamento, março a agosto deste ano, 1.846 benefícios após a não comprovação de vida do beneficiário. Isso corresponde a uma economia superior a R$ 250 milhões na folha de pagamento do Iprev levando-se em conta o mesmo período em 2018.

O recadastramento previdenciário dos servidores do Distrito Federal foi iniciado em 2019, com a realização da prova de vida. Além disso, com a futura reestruturação administrativa, o Instituto busca dar continuidade ao processo de assunção das aposentadorias das secretarias de Saúde e Educação que estão previstas para acontecer ainda este ano.

Revisão
Após a reestruturação e com corpo técnico completo, o Iprev busca realizar a revisão dos benefícios concedidos. O Instituto prepara um acordo de cooperação junto à Secretaria de Saúde para a realização de novas perícias médicas para as aposentadorias por invalidez.

Por fim, após essas ações, o Iprev ainda busca outro acordo de cooperação. Essa agora será com a Polícia Civil do DF.

Finalizadas as ações acima, o Instituto vai iniciar a abertura do processos civil e criminal. Com isso, será possível identificar possíveis fraudes, de benefícios que ainda estão sendo recebidos mesmo após a morte do beneficiário. As ações visam uma gestão mais transparente e eficiente, de acordo com o Iprev.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Com informações da Agência Brasília

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

um × 3 =

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend