População aguarda quase 20 horas em fila para entregar currículos em mercado

Diversas pessoas compareceram na porta de um atacarejo, no Itapoã, para entregar currículos.

Uma fila, que já dura mais de 19 horas mostrou uma grande necessidade do brasiliense: emprego. 

A Polícia Militar não divulgou o número de pessoas que estiveram no local, mas a estimativa do estabelecimento é que 12 mil documentos
sejam entregues. Não é para menos, segundo os últimos dados da pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), em novembro de 2018, o DF tinha 310 mil desempregados, ou seja, 18,5% da população não tinha uma renda mensal fixa para se sustentar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O desejo de todos na fila quilométrica é que 2019 inicie com o carimbo de uma nova empresa na certeira de trabalho. Por isso, todos se endereçaram ao Itapoã. Um grande letreiro foi colocado avisando que a entrega dos documentos só poderia ocorrer nesta quarta-feira (9), das 9h às 16h. Mas, os primeiros da fila chegaram às 16h da ultima terça (8). Tinha gente que nem era da mesma região e resolveu tentar a sorte.

A dona Maria Rocha, 61, saiu do setor de chácaras Quintas do Amanhecer, em Planaltina, quando ainda estava bem escuro para conseguir chegar às 7h40 na fila. A senhora está desempregada há dois anos e tenta se sustentar fazendo bicos. Antes disso, foi motorista por 10 anos.

Apesar de já ter experiência com volante, ela assegura que quer a vaga que puderem oferecer.

“Sendo digno, aceito qualquer coisa. Pode ser atendente, faxineira, para limpar banheiro. Sempre luto por um emprego que seja digno”, diz a mulher que levou o seu currículo o da vizinha.

Mais de 12 mil currículos

O mercado que atenderá tanto o atacado quanto o varejo ainda nem abriu. Infelizmente, boa parte dos que entregaram os currículos deve ficar sem vaga, já que serão apenas 300 oportunidades para o novo estabelecimento e uma previsão de 12 mil currículos entregues.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

Até às 11h desta manhã, a estimativa era que mais de quatro mil
documentos já tinham sido entregues.

Segundo o gerente do estabelecimento, Antônio José Pereira, para ajudar as outras pessoas que ficaram na fila, os outros currículos vão ficar em um banco de dados. Como o mercado está junto à estrutura de um mini-shopping, vai ser possível contratar mais mil pessoas.

A previsão da direção do estabelecimento é que as atividades comecem nas primeiras semanas de fevereiro. Serão três mil m² que devem receber atendentes de caixa, açougueiros, padeiros, auxiliares de estoque, gerência e todas as outras funções necessárias para manter uma loja deste porte.

Como o calor estava grande, para amenizar a situação de quem esperava, no momento da entrega do currículo, as pessoas recebiam uma maçã e água. O alimento também era entregue para os últimos da fila.

Antônio explicou que haverá, primeiramente, uma pré-seleção de currículos, em seguida esse segundo grupo vai ser chamado para uma entrevista pessoal.

Isso deve ocorrer nas próximas duas semanas. O gerente diz que um time de profissionais de Recursos Humanos foi chamado para auxiliar no recrutamento.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend