Siga o Jornal de Brasília

Grande Brasília

Em oito dias, crimes de violência contra mulheres disparam no DF

Publicado

em

Agressores de três vítimas estão presos. Além dessas, casal foi encontrado morto em cama

Em oito dias do novo ano, o DF já contabiliza ao menos três casos graves de violência contra mulheres.

O Gama registrou o primeiro feminicídio da capital em 2019, enquanto em Taguatinga duas mulheres quase tiveram o mesmo fim ao serem feridas. Além disso, ontem à noite, uma quarta mulher foi encontrada morta junto a um homem, dentro de casa no Recanto das Emas.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Nessa última ocorrência, a mulher, identificada como Rosilia Alves Pinto (sem idade confirmada), levou um tiro na testa, e Manoel Pereira de Matos, 41, tinha marcas de disparos no peito e na cabeça. Um vizinho acionou a PMDF, que encontrou os corpos em cima de uma cama, por volta das 19h30.

Ao Jornal de Brasília, o sargento Flávio Menezes do 27º Batalhão de Polícia, revelou que o crime aconteceu na noite de domingo e que os vizinhos chegaram a escutar os disparos de arma de fogo, porém, não sabiam a origem do barulho.

Leia também:  Como montar um currículo profissional de sucesso?

“Os corpos estavam ali por quase 24 horas, então o mau cheiro era grande”, descreve Menezes. Vizinhos informaram à Polícia Militar que encontraram a porta arrombada pela manhã. Eles ainda revelaram que os dois seriam namorados e afirmaram que o homem tinha duas armas de fogo em casa – uma pistola e uma espingarda. Nenhuma delas foi encontrada.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Ainda segundo Menezes, os corpos não tinham outros sinais de violência. “O botijão de gás não estava mais lá e havia garrafas de bebida no local. Não dá para saber se foi duplo homicídio ou crime passional”, afirmou.

Gama

No Gama, o homem que matou a esposa a facadas na madrugada de sábado foi preso preventivamente no domingo, após tentar fugir para Minas Gerais. Thiago de Souza Joaquim, 33 anos, estava escondido na casa da irmã em Sobradinho. Ele e Vanilma Martins dos Santos, 30 anos, estavam juntos há uma década. A mulher chegou a ser levada ao Hospital Regional do Gama (HRG), mas morreu ali. O crime foi na casa deles, na Quadra 8 do Setor Oeste. Ao ser preso, o suspeito contou para a polícia o que supostamente aconteceu.

“Ele disse que saiu na sexta-feira para beber e pescar com amigos. Quando voltou, por volta de meia-noite, a esposa brigou porque ele tinha chegado tarde. Nesse momento, Thiago afirmou ter apenas simulado o arremesso de uma faca de açougueiro, mas o objeto se desprendeu do cabo e acertou o peito da vítima”, relata o delegado.

Um dia após o Natal, Mara Mamedes dos Reis se encontrou com o ex-namorado, com quem havia terminado há cinco meses, em sua residência na QNL 17. Segundo Douglas Fernandes, delegado da 17ª DP (Taguatinga), Rodrigo Moreira da Silva, 32, insistia para que os dois conversassem. Mas acabou em briga.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

“Os dois estavam conversando na garagem quando o pai viu que começaram uma discussão. Ele (Rodrigo) olhou todas as mensagens do celular para ver se tinha algo, só que não encontrou nada. Aí ela pediu o celular de volta”, conta Fernandes.“Nisso ele ficou nervoso e com ciúmes. Tirou a faca do bolso e desferiu cinco facadas, nas costas e no rosto. O pai viu tudo”, acrescenta o delegado.

Outra vítima, na última quarta- feira, é Ana Célia Crisóstomo Carvalho, 40 anos. Ela foi agredida com socos e teve a cabeça arremessada contra a parede diversas vezes por Guilherme José de Oliveira, 28 anos. Os dois moravam juntos, na QND 8, e têm três filhos pequenos. Segundo as investigações, não há um motivo aparente para as agressões. “Ela disse que ele bebeu na noite anterior. Chegou em casa às 9h e lá encontrou as coisas dele para fora de casa. Ele ficou nervoso e falou que iria matá-la. Começou a espancar e bater a cabeça dela contra a parede até desmaiar”, diz Fernandes.

Leia também:  Vem Brincar Comigo 2021: faça uma criança feliz e ganhe uma muda de planta

Os filhos viram tudo. A mulher foi levada ao HRT com fratura no crânio. Na sexta-feira, fugiu da unidade e foi para casa por estar com medo do que o homem pudesse fazer com os filhos.

Leia mais no Jornal de Brasília

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *