Siga o Jornal de Brasília

Grande Brasília

TJDFT economiza mais de 6 milhões de folhas de papel em 2017

Publicado

em

Na semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5/6, o TJDFT preparou uma série de matérias que reforçam a responsabilidade socioambiental do órgão na gestão dos recursos.

Nesta quarta-feira, 6/6, o assunto é o papel. Em 2017, o consumo de papel no TJDFT teve uma redução de cerca de 16% em relação ao ano de 2016, em virtude do avanço do Processo Judicial eletrônico – PJe e da implantação do Sistema Eletrônico de Informações – SEI. O número significa uma economia de 6.250.000 folhas de papel, o que equivale à preservação de 27.480 árvores. No mesmo período, o número de impressões foi reduzido em 11%.

Com a implantação do SEI na Casa, no final de 2016, todos os processos administrativos do Tribunal passaram a tramitar por meio eletrônico. Além disso, em 2017, os processos judiciais eletrônicos representaram mais de 53% dos feitos distribuídos no TJDFT. O PJe está sendo implantado no Tribunal desde julho de 2014 e, até fevereiro deste ano, mais de 66% das unidades judiciais do Tribunal já estavam funcionando por meio do sistema. Até o final de 2018, o PJe chegará a todas as varas e serventias do Tribunal e proporcionará uma maior economia para o Judiciário local.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  FAP-DF abre dois novos programas de bolsas

Esses e outros dados de economia de gastos públicos e de redução dos consumos de água, energia, papel, transporte, entre outros, podem ser conferidos no  Relatório de Desempenho das Metas do PLS 2017, disponível na página Transparência do site do TJDFT. O documento demonstra o empenho e o compromisso do Tribunal, dos magistrados e dos servidores com a austeridade, a racionalidade e a sustentabilidade da gestão do TJDFT, bem como com a responsabilidade socioambiental.

PLS

Na vanguarda das ações sustentáveis do Poder Judiciário, o TJDFT implantou desde 2012, uma Coordenadoria de Gestão Socioambiental, responsável pela articulação com as áreas, tendo em vista a implementação e manutenção de ações de responsabilidade socioambiental na Casa. Além disso, em 2015, aprovou seu Plano de Logística Sustentável – PLS, alinhado às resoluções do Conselho Nacional de Justiça – CNJ e às diretrizes do Tribunal de Contas da União e do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  Sejus promove atividades educativas com adolescentes no DF

O PLS é um instrumento vinculado ao Plano Estratégico 2015-2020 do TJDFT, que permite estabelecer e monitorar práticas de sustentabilidade, racionalização e qualidade, com vistas à maior eficiência dos gastos públicos e da gestão dos processos de trabalho do Tribunal. Os indicadores e as metas são definidos, anualmente, na comparação com o ano anterior. O monitoramento dos desempenhos é realizado em tempo real por painéis eletrônicos, com base nos dados cadastrados pelas unidades responsáveis.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *