Sem recadastramento, 36,4 mil passes de pessoas com deficiência são suspensos

Para reativar o benefício, basta comparecer à estação do metrô da 112 Sul ou acessar o site do DFTrans

Cerca de 36,4 mil cartões do programa +Especial, que garante gratuidade a pessoas com deficiência no transporte público de Brasília, começaram a ser suspensos nesta terça-feira (22) por falta de renovação do cadastro dos usuários.

O benefício está mantido para quem fez o recadastramento obrigatório no período de novembro de 2017 até a última sexta-feira (18). Para reativar o cartão, o interessado ainda pode comparecer à estação do metrô da 112 Sul ou acessar o site do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Segundo o diretor-geral do órgão, o recadastro é necessário para garantir que o benefício vá para as pessoas devidas. “Devemos dar o direito para aqueles que merecem, mas há um processo legal que deve ser cumprido.” Ele não soube precisar quanto do montante suspenso pode ser decorrente de fraudes.

Até 18 de maio, o cadastro cobria 64.224 cartões, mas apenas 27.828 beneficiários fizeram o recadastramento obrigatório segundo prevê a Lei nº 4.582, de 2011 e a Portaria nº 5, de 2016 , da Secretaria de Mobilidade.

“Devemos dar o direito para aqueles que merecem, mas há um processo legal que deve ser cumprido”Marcos de Andrade, diretor-geral do DFTrans

Quem teve a gratuidade suspensa receberá a mensagem saldo insuficiente, caso tente usar o cartão nos validadores da rede de transporte público de Brasília. Para reativar, basta comparecer à estação do metrô da 112 Sul ou acessar o site do DFTrans.

A reativação leva até 20 dias. Para ter acesso ao benefício pela primeira vez, o usuário com deficiência pode se cadastrar a qualquer momento no site do Passe Livre.

Andrade lembra que é preciso levar documento de identificação para fazer o recadastro. “O mais importante é o laudo médico que comprove deficiência”, alertou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

De acordo com o diretor-geral, a suspensão deve render uma economia de até R$ 5,1 milhões por mês ao erário. Dinheiro que será usado em melhorias do próprio transporte urbano local.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Send this to a friend