Siga o Jornal de Brasília

Destaque

Protestos no DF afetam trânsito em quatro rodovias; DER libera faixas exclusivas

Publicado

em

Manifestantes bloquearam trechos de cinco rodovias do Distrito Federal, na tarde desta quinta-feira (24), em apoio à paralisação dos caminhoneiros iniciada na última segunda (21).

Até as 17h30, havia registro de atos na Epia, na EPTG, na Estrutural e na EPNB . Em todos os casos, os bloqueios afetaram o sentido “crescente” – de quem sai do Plano Piloto rumo às demais regiões administrativas. Esse sentido é o de maior fluxo, na volta para casa.

Por causa do engarrafamento, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) liberou as faixas exclusivas de ônibus da EPTG e da EPNB para carros de passeio. A permissão vale das 17h às 23h59 desta quinta.

Além dos próprios caminhoneiros, os protestos tiveram adesão de outras categorias, como motociclistas, motoristas de Uber e até vendedores de carros. Até as 17h30, não havia registro de conflito nos pontos de bloqueio.

Epia

Na Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia), um grupo de manifestantes ateou fogo em uma barricada para bloquear a via. O ato começou por volta das 16h e durou cerca de uma hora.

Nesse período, três das quatro faixas ficaram bloqueadas na altura da Feira dos Importados, sentido Gama. O grupo era formado por vendedores de carros, que exibiam faixas de apoio à paralisação dos caminhoneiros em todo o país.

“A gente achou que precisava ser solidário aos caminhoneiros. Rodamos a cidade atrás de combustível e não achamos”, diz o líder do grupo, Manoel Luiz Lima.

Corpo de Bombeiros apaga fogo em barricada na Epia, no Distrito Federal (Foto: Vinicius Cassela/G1)

EPTG

Na EPTG, o ato foi coordenado por motoboys e motociclistas. Segundo a Polícia Militar, a via foi fechada no sentido Plano Piloto-Taguatinga, na altura de Águas Claras, por volta das 17h30. Nesse horário, apenas a faixa exclusiva de ônibus estava liberada.

Em outros momentos, eles chegaram a fazer uma espécie de “barreira móvel”, trafegando a velocidade baixa no sentido da via e retendo os veículos que vinham atrás. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 200 motos faziam parte do pelotão.

No fim da tarde, um outro grupo de 200 motociclistas começou a se concentrar no início da EPTG, no trecho conectado à EPIA – entre a Octogonal e o SIA. De acordo com a PM, neste caso, o ato também poupou apenas a faixa exclusiva.

Estrutural

De acordo com a PM, caminhões ocuparam o acostamento da Via Estrutural e interromperam o fluxo na faixa da direita. Apesar do ato, a inversão da Pista Sul da estrada no fim da tarde foi mantida.

De acordo com a PM, a lentidão afeta o sentido BR-070 (Ceilândia) e o sentido DF-001 (Brazlândia). Até as 18h, não havia registro de bloqueio total na Estrutural.

Outros atos

No Terminal Terrestre de Brasília da Petrobras – base que armazena e distribui produtos da companhia para os postos de combustíveis do DF e do Entorno –, o bloqueio já ultrapassa as 30 horas.

O movimento impediu que mais de 4 milhões de litros de combustíveis fossem distribuídos para os postos até o início da tarde – o suficiente para abastecer 80 mil tanques de carros de passeio. A frota de Brasília é de 1,7 milhão de veículos.

À tarde, os caminhoneiros que protestavam no local receberam a informação de que veículos carregados estariam saindo por uma “rota alternativa”. Houve corre-corre no local, e a Polícia Militar montou uma barreira humana para impedir o cerco ao prédio.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *