Siga o Jornal de Brasília

Destaque

Rollemberg anuncia a nomeação de 1.183 servidores

Brasília de Fato

Publicado

em

Rollemberg anuncia a nomeação de 1.183 servidores

A maioria das vagas é para ser preenchida imediatamente, e outra parte até maio de 2018. O impacto nos cofres públicos será de R$ 23 milhões em 2017 e de R$ 144 milhões no ano que vem

O governo de Brasília vai nomear 1.183 servidores. Aprovadas pela Câmara de Governança Orçamentária, Financeira e Corporativa do DF (Governança-DF), as vagas são para a Secretaria de Saúde (836), a Fundação Hemocentro de Brasília (79), a Secretaria de Cultura (41), o Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF) (39) e a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) (188).

O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (17) pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, em entrevista coletiva no Palácio do Buriti.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

“O anúncio dessas nomeações só foi possível graças ao projeto de reestruturação da previdência, que permite compensar o fundo deficitário com o superavitário e tira o peso da Fonte 100, que usávamos para pagar aposentadorias”, disse.

Leia também:  Um novo visual com a reforma das quadras 507 e 508 Sul

As nomeações serão publicadas no Diário Oficial do Distrito Federal até o fim de outubro. A posse deve ocorrer até 30 dias após a publicação.

A maior parte das nomeações tem efeito imediato, exceto dois terços das do Metrô-DF. O restante virá em fevereiro e maio de 2018. Nos cofres públicos, o impacto total do ingresso dos servidores é de R$ 23.148.823,69, em 2017, e R$ 144.034.612,80, no ano que vem.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Saúde vai ganhar reforço de servidores e de duplicações de jornada

Somando as nomeações do Hemocentro, a rede pública de saúde pode ganhar reforço de até 915 servidores. Dos vinculados à secretaria, serão:

  • 15 assistentes sociais
  • 12 biomédicos
  • 39 cirurgiões-dentistas
  • 153 clínicos gerais
  • 137 enfermeiros
  • 2 fisioterapeutas
  • 118 médicos de família
  • 10 médicos do trabalho
  • 3 médicos patologistas
  • 14 psicólogos
  • 11 técnicos administrativos
  • 269 técnicos em enfermagem
  • 39 técnicos em saúde bucal
  • 8 técnicos em patologia clínica
  • 6 terapeutas ocupacionais
Leia também:  Após trocar tiros com caseiro, Lázaro segue foragido; já são sete dias de busca

O governo espera que pelo menos 70 médicos de família tomem posse. “Com esse número, a cobertura da atenção primária vai passar de 29% no início do governo para 70% em junho de 2018”, contabilizou o secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

A posse de clínicos vai viabilizar a abertura de seis ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). São necessários 64 para reforçar o quadro, que, por falta de profissionais, deixa ativas apenas três das nove viaturas que o Samu tem à disposição.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

O governo de Brasília ganha reforço, ainda, com duplicação de jornada de 20 para 40 horas semanais de 561 servidores da Saúde. “Se somarmos nomeações e aumento de carga horária, é como se tivéssemos o reforço de 1.476 profissionais”, disse Rollemberg.

Leia também:  Um novo visual com a reforma das quadras 507 e 508 Sul

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *