Museu de Arte de Brasília começa a ser reformado

Rollemberg esteve no local nesta terça (24) e autorizou o início das obras. Intervenção faz parte do programa Lugar de Cultura, de recuperação dos espaços culturais, como o Teatro Nacional e o Espaço Cultural Renato Russo 

Foi lançada oficialmente nesta terça-feira (24) a reforma do Museu de Arte de Brasília (MAB), fechado há 10 anos por recomendação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios.

A ideia que é o local tenha um acervo permanente e receba outras exposições que circulam pelo País. “É um espaço nobre, que vai servir tanto para a população de Brasília quanto para os turistas.”“Esta obra tem caráter simbólico grande para a nossa cidade, pois o MAB está fechado há 10 anos e tem um acervo precioso de arte contemporânea”, disse Rollemberg.

As intervenções integram o programa Lugar de Cultura, que visa a recuperação dos espaços culturais do DF. A previsão é de que o museu fique pronto em novembro de 2018.

“Ainda em 2017, devolveremos à população o Centro Cultural de Dança. No ano que vem, serão entregues o Espaço Cultural Renato Russo e os complexos culturais de Samambaia e de Planaltina, assim como a recuperação do Teatro Nacional [Claudio Santoro], que formam o acervo de espaços culturais fechados que serão reativados”, disse Rollemberg.

“Esta obra tem caráter simbólico grande para a nossa cidade, pois o MAB está fechado há 10 anos e tem um acervo precioso de arte contemporânea”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

O governador Rodrigo Rollemberg esteve no Museu de Arte de Brasília nesta terça (24) e autorizou o início das obrasA empresa vencedora da licitação para fazer a obra do MAB é a Engemil. Serão investidos no local R$ 7.698.574,15 — os recursos são de financiamento do Banco do Brasil e da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap).

Entre as principais mudanças estão a adequação do edifício às normas de acessibilidade, a colocação de placas fotovoltaicas na cobertura para geração de energia e a total climatização dos locais de exposição de acervos.

O projeto prevê ainda laboratório para restauração, sala de triagem para recebimento e avaliação das obras, além de um local de quarentena para que as obras fiquem por um determinado tempo ao chegarem, caso necessitem.

“Hoje é um dia muito importante para a Cultura, não só por mais uma obra, mas porque também hoje foram nomeados 41 servidores da Cultura”, destacou o secretário de Cultura, Guilherme Reis. A lista de convocação foi publicada noDiário Oficial do DF desta terça-feira (24).

Museu de Arte de Brasília

Construído em 1960 pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) para ser sede do Clube das Forças Armadas, o edifício passou a funcionar oficialmente como Museu de Arte de Brasília em 1985, por iniciativa da então Secretaria de Educação e Cultura.

Em 1992, uma vistoria da Terracap apontou que o local não apresentava condições para guardar e expor obras. Em 2007, o museu foi fechado por determinação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, que considerou haver riscos para as peças — atualmente guardadas no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República.

O acervo é formado por obras das artes modernas e contemporâneas de 1950 a 2001, caracterizadas pela diversidade de técnicas e materiais, com pinturas, gravuras, desenhos, fotografias, esculturas, objetos e instalações.

Incêndio na Chapada dos Veadeiros

Após a cerimônia de assinatura da autorização de início das obras, Rollemberg falou sobre a preocupação do governo com o incêndio que atinge a Chapada dos Veadeiros, em Goiás, desde o dia 17.

“Estamos falando de um dos locais mais importantes do bioma Cerrado, responsável por 70% das águas que abastecem as bacias do Paraná, do Tocantins e do São Francisco, sem falar na biodiversidade fantástica”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

“Estamos falando de um dos locais mais importantes do bioma Cerrado, responsável por 70% das águas que abastecem as bacias do Paraná, do Tocantins e do São Francisco, sem falar na biodiversidade fantástica”, disse o governador. “É obrigação de todos contribuir para salvar o parque.”

Na sexta-feira (20), 25 bombeiros militares do DF foram enviados à Chapada para colaborar com as equipes de combate a incêndios florestais que já atuavam na área.

Na segunda-feira (23), dois médicos veterinários, um biólogo e um auxiliar técnico da Fundação Jardim Zoológico de Brasília se juntaram ao grupo para tratar animais feridos.

SAMIRA PÁDUA, COM EDIÇÃO DE PAULA OLIVEIRA
AGÊNCIA BRASÍLIA

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

dezoito − quatro =

Send this to a friend