Siga o Jornal de Brasília

Grande Brasília

Luos vai facilitar licenciamento de atividades econômicas no DF

Brasília de Fato

Publicado

em

Luos vai facilitar licenciamento de atividades econômicas no DF

Projeto de lei unifica cerca de 420 normas urbanas e seis planos diretores locais vigentes. Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (11), Rodrigo Rollemberg ressaltou que proposta será enviada à Câmara Legislativa ainda em outubro

Aprovado na terça-feira (10) pelo Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do DF (Conplan), o projeto da Lei de Uso e Ocupação do Solo será enviado à Câmara Legislativa até o fim de outubro.

“A Luos vai facilitar o licenciamento de atividades econômicas e de edificações nas cidades com transparência e operação 100% digital”, reforçou o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (11), no Palácio do Buriti.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

A base de dados da matéria de lei está disponível no Geoportal.

A lei incide sobre aproximadamente 365 mil lotes urbanos registrados em cartório e espalhados por 24 regiões administrativas. Não está incluído o conjunto urbanístico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Leia também:  Um novo visual com a reforma das quadras 507 e 508 Sul

Dessa maneira, estão fora da legislação o Plano Piloto, o Cruzeiro, a Candangolândia e o Sudoeste. Essas áreas seguem as regras do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCub), que está sendo construído pelo governo com a participação da sociedade.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼

Locais como Fercal, Vicente Pires e Itapoã passarão a integrar a lei assim que forem regularizados.

O projeto de lei foi construído pelo governo, com a participação da sociedade. Foram 46 reuniões da câmara técnica, 24 consultas públicas presenciais nas regiões administrativas, quatro consultas públicas on-line, três audiências públicas e mais de 20 reuniões específicas.

“O governo trabalha em um intenso processo de uniformização legislativa e de normatização responsável. Isso tem a ver com a eficiência da gestão pelo poder público, com o conhecimento, com a transparência ativa e com o domínio da sociedade sobre o seu destino”, destacou o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade.

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  Após trocar tiros com caseiro, Lázaro segue foragido; já são sete dias de busca
Legislação atual

Os lotes abrangidos pela Luos foram mapeados e estudados individualmente e, atualmente, seguem cerca de 420 normas urbanas e seis planos diretores locais vigentes. A nova lei tem, então, a missão de unificar e sistematizar as regras para esses terrenos.

Segundo a subsecretária de Gestão Urbana, da Secretaria de Gestão do Território e Habitação, Cláudia Varizo, trata-se de uma lei de reconhecimento da cidade existente e não de um instrumento de regularização.

As diretrizes do texto aprovado pelo Conplan compactuam com o previsto no Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Distrito Federal (Pdot), que começará a ser revisado ainda neste ano, e com o que está sendo construído para o Zoneamento Ecológico-Econômico, cuja última audiência pública ocorrerá em 28 de outubro. “É uma proposta completamente nova, totalmente diferente da enviada à Câmara Legislativa anteriormente.”

▼ CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ▼
Leia também:  Um novo visual com a reforma das quadras 507 e 508 Sul

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *