Distrito Federal e Entorno registram sete mortes no fim de semana

Por motivos ainda misteriosos, um homem matou a sua ex-mulher com dois tiros na cabeça, ontem, na Quadra 303 de Santa Maria, por volta das 10h.

O tiro foi fatal e a vítima, Lúcia Maria Soares, de 59 anos, é mais uma da estatísticas de feminicídio no Distrito Federal. Até o fechamento desta matéria, o autor do crime ainda não havia sido preso.

Além desse feminicídio, o Distrito Federal registrou pelo menos cinco homicídios entre sábado e domingo. Se for incluída a região metropolitana, a conta aumenta para oito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Quase todos os crimes envolvem acerto de contas entre criminosos. Os dados são extra-oficiais. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF), os números oficiais são repassados somente no mês subsequente e que não há dados parciais dos crimes.

Em Santa Maria, uma vizinha de Lúcia Maria, que não quis se identificar, afirma que o casal havia se separado há cerca de 10 anos, mas o homem ainda morava com a vítima. Para a mulher, foi uma surpresa.

“Eles podiam ter as brigas deles, mas não era nada muito grande, porque nunca ouvi nenhuma briga entre os dois. Eles eram tranquilos. Eram separados, mas um conversava com o outro”, relata. De acordo com a Polícia Civil do DF, o casal teve uma briga no sábado, mas sem nenhuma consequência grave.

Não deu tempo
A mulher diz ter ouvido os tiros, mas acreditou que não era perto da sua casa. “Eu estava tomando café e ouvi os tiros. Dei uma olhada na rua, mas não vi nada. Aí, depois, a nora dela me chamou pedindo socorro. Só que eu achei que ela estava passando mal, porque a Lúcia já teve um AVC, mas, quando entrei na casa, a vi no chão”, relata.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


 

A vizinha conta que até tentou reanimá-la, mas não conseguiu. “A nora dela e eu tentamos reanimá-la, mas não foi possível. Ela levou o tiro na cabeça, então deve ter morrido na hora mesmo”, acredita.

Lúcia deixa dois filhos: um homem, de 30 anos, e uma mulher, de 20 anos. O caso é investigado pela 33ª Delegacia de Polícia.

Tiros e facadas são distribuídos em 6 cidades

Além do crime em Santa Maria, um homem, de 31 anos, foi esfaqueado após cobrar a conta da venda de bebidas alcóolicas, no Gama. Leandro Henrique Lima da Silva era vendedor e o crime teria sido praticado por morador no Condomínio Mansões Paraíso.

No sábado, um homem de 30 anos foi morto com vários tiros na cabeça, na quadra Quadra 7, do Riacho Fundo II. O autor do crime chegou de moto e atirou contra Denner Brayan Martins de Araújo. A vítima possuía diversas passagens por tráfico e roubo e estava sendo procurada pela polícia.

Outro homem também foi vítima de um homicídio. Dessa vez, Kelvin Alisson Pereira, de 18 anos, foi morto por tiro em Sobradinho, na madrugada de sábado. O rapaz era suspeito de ser o autor de um homicídio na região, que aconteceu no dia 6 deste mês. Os autores do homicídio levaram a arma que Kelvin portava no momento do crime.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Também no sábado, um jovem de 16 anos foi apreendido depois de esfaquear o padrasto, em Sobradinho. O motivo seria dinheiro que havia sumido da carteira do adolescente.

O padrasto, de 41 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O jovem foi encaminhado para a Delegacia da Criança e Adolescente, onde foi registrado o ato infracional análogo a
homicídio.

Já em Planaltina, três homens, sendo dois menores de idade, foram detidos após esfaquear um adolescente. Um policial que estava de folga deteu os criminosos na hora.

No entorno, na manhã de sábado, na etapa 2 do Céu Azul (Valparaíso – GO), um adolescente, de apenas 16 anos, levou cinco tiros e morreu na hora. A vítima também estava envolvida com outros crimes e havia tentado roubar uma moto no mesmo dia.

SAIBA MAIS

  • A Polícia Civil investiga também a morte de dois homens. Ambos os casos não são tratados como homicídio. No sábado, um homem de 40 anos foi encontrado morto boiando em um córrego, atrás da casa de recuperação Acreditar, que fica no Recanto das Emas.
  • Segundo o coordenador da casa, Cosmo Vieira Coelho, havia chegado ao local há dois dias para se tratar contra o alcoolismo. As investigações vão apontar se foi afogamento ou suicídio.
  • No Riacho Fundo II, um homem de 30 anos foi morto ao tentar separar uma briga de casal. Ainda não há informações se a vítima escorregou e bateu a cabeça no chão ou se teve um mal súbito e veio a falecer. O homem era conhecido na região e frequentava o bar por ter problemas de alcoolismo.

Raphaella Sconetto
Jornal de Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Send this to a friend