Caesb nega início do racionamento de água de 48 horas no fim de semana

Caesb nega início do racionamento de água de 48 horas no fim de semana

 presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), Maurício Luduvice, voltou a afirmar nesta sexta-feira (20) que o racionamento de 48 horas não tem data certa para começar e que notícias de que as interrupções começariam no próximo domingo (22) são falsas. “O que eu posso assegurar é que a população será devidamente avisada, com antecedência. Ninguém será pego de supresa”, disse Luduvice, em entrevista coletiva.

Hoje a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) autorizou a ampliação do racionamento no Distrito Federal das atuais 24 horas de suspensão de abastecimento para 48 horas. Nas redes sociais, circula uma tabela atribuída à Caesb que mostra que o racionamento começaria neste fim de semana. Luduvice informou, no entanto, que na segunda-feira (23) a Caesb encaminhará um projeto para ser avaliado pela Adasa e que, mesmo após aprovado, o racionamento não começará imediatamente.

Luduvice não adiantou quais serão as regiões em que o racionamento será ampliado, nem como o projeto será aplicado, mas ressaltou que a situação mais crítica é do reservatório do Descoberto, que atingiu nesta sexta-feira (20) o volume útil mais baixo já registrado, de 10,2%. Até o momento, a Adasa considera que as medidas adotadas conseguem sustentar o abastecimento, no limite, até 9% desse volume.

Com o início da captação de água no Lago Norte, e outras medidas estruturais, a Caesb conseguiu retirar algumas regiões do Descoberto, como Guará I e Guará II. Atualmente, são abastecidas pelo reservatório regiões como Taguatinga, Ceilândia e Gama. Luduvice alertou, porém, que outras regiões, abastecidas por Santa Maria, também podem entrar no racionamento ampliado. “Como eu disse, a gente se prepara para o pior e torce para o melhor. Temos que estar preparados. Estamos desenvolvendo planos [de rodízio], tanto para o Descoberto quanto para Santa Maria.”

Luduvice lembrou que a Caesb têm feito otimizações do sistema de captação e que isso possibilitou um aumento da retirada de água do Descoberto, o que poderá trazer certa segurança. Essas medidas constam no relatório que será apresentado à Adasa. De acordo com o presidente da Caesb, isso poderá reduzir o limite de 9% estabelecido até agora para cerca de 5%, dando uma margem maior de abastecimento.

Ele disse que “é preciso pensar na comunidade em geral” e que é difícil decidir pelo racionamento ou ampliação, mas que é mais difícil ainda, uma vez que se entra, sair desse sistema. Por isso, a Caesb busca outras medidas para tentar adiar o início do racionamento de 48 horas e não descarta a possibilidade de chuva.  “A chuva está chegando, a gente espera ganhar volume e é importante que, quando a chuva vier, a população continue economizando”, afirmou Luduvice.

Hoje a Adasa autorizou também a captação de água do volume morto do Descoberto, ou seja, da parte do reservatório abaixo dos tubos de captação. Para isso, a Caesb informa que fará as obras necessárias, mas que espera não usar esse volume. Até janeiro essa obra estará concluída.

Segundo a Caesb, outras medidas que podem dar maior segurança para o abastecimento de água no DF já começaram a ser implementadas. Bananal, entra em operação no fim deste mês e Corumba IV, no fim do ano que vem. A empresa também diz que reduziu o desperdício de água que ocorre nas tubulações por vazamentos e com furto de água, os chamados gatos. No final do ano passado, 35% da água não chegava ao destino final. Essa porcentagem caiu para 30%.

“Importante dizer que não existe perda zero”, enfatizou a companhia, acrescentando que um valor admitido internacionalmente é 20%. “Estamos trabalhando na melhoria de redes, colocação de válvulas redutoras de pressão. Mais importante: estamos trabalhando nos gatos, que são um problema serio para nós”.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

dezoito − 2 =

Mais lidas

Send this to a friend